terça-feira, 22 de agosto de 2017

Virando a vida.

Menos de 1 mês para completar 5 anos de namoro decido colocar um basta neste relacionamento! 
Muitos se questionam sobre isso, afinal minha vida era quase um livro aberto nas redes sociais. Mas o pior é que ME questionam também. Às vezes é chato falar... às vezes não me incomoda em dizer sobre isso. Mas o fato é que não tomei essa decisão de repente, nem da noite para o dia então pode parecer superficial qualquer coisa que eu diga. 
Não foi apenas um motivo único ou algo específico que aconteceu para acometer a este fim. 
Parece clichês mas realmente foram dezenas de acontecimentos. Muitos acontecimentos partiram dele outros tantos de mim. 
Eu só tive a coragem de colocar um ponto final em algo que não estava mais legal para ambas as partes. 
Como disse lá em cima, minha vida era um livro aberto nas redes sociais principalmente porque o ex gosta muito de postar fotos, escrever, desabafar e compartilhar 'in real time' sua vida. Quase um reality show. 

Entretanto, como grande parte das pessoas, compartilhamos aquilo que nos convém. Mostramos apenas aquilo que queremos mostrar e aquilo que queremos que as pessoas vejam.
Os bastidores ninguém quer divulgar. 
E é exatamente o que acontecia nos bastidores que me fez me posicionar de tal forma. 
Eu tomei essa decisão pois eu não sabia e não queria lidar com algumas coisas. Escolha minha mesmo. 
Não me arrependo. Acredito que tudo acontece no tempo certo mesmo. Eu já havia tentado terminar outras vezes, mas sem sucesso. Quis tentar mais talvez. Quis esgotar com as possibilidades e pode ser por isso que me sinto segura e confiante de tal decisão. 

Não me sinto fracassada por estar com 34 anos e solteira. Ou por mais um namoro ter chegado ao fim. Na verdade me sinto vitoriosa por levar um namoro por tanto tempo. 
A experiência foi engrandecedora. Cresci, aprendi, descobri sentimentos que nem imaginei que eu possuía. Principalmente amadureci, e cheguei à conclusão que temos sim o poder, o direito e o dever de sermos felizes e só depende de nós. 
Nem sempre nossas decisões agradarão a todos inicialmente. 
Felizmente a vida não é justa. Felizmente porque isso nos dá outra lição: faça o que tiver que fazer, com humildade e dignidade que tudo fluirá da melhor forma. 
Me vejo como uma mulher corajosa que não empurrou um relacionamento com a barriga simplesmente  porque me considero 'velha' ou sem opções e oportunidades. 
Vejo que muitas pessoas fazem isso com suas vidas, independentes de sua condição social ou intelectual. Fazem isso por medo e insegurança que no final se traduz como covardia. Passam uma vida toda infelizes por viverem em suas zonas de conforto e temerem as mudanças. 

Sempre ouvi que Deus abençoa as pessoas de coragem e comigo não será diferente. 

Foi uma mudança grande mas sinto-me recompensada, forte e grata. Tudo vale a pena principalmente para aqueles que superam seus medos. Hoje estou feliz comigo, com minhas decisões e crente que o tempo trará tudo a que a mim for merecido. Mas insisto em dizer que tenho tanta confiança assim porque fiz o que tinha que fazer baseada nos meus valores e com humildade e dignidade. 
=)
Tudo sempre acaba bem!


sábado, 8 de julho de 2017

O propósito com amor

Hoje eu comecei a ler o livro do Sri Prem Baba que chama Propósito.
Não estou aqui para comentar o livro, mesmo porque li apenas 4 ou 5 paginas até agora.
Mas o que ele diz neste início de livro é que nosso propósito de vida basicamente é a expansão do amor. Estamos aqui para amar e aprender sobre o amor.
Incrível, né!? Mas faz total sentindo para mim.
Não à toa que grande parte de nós, seres-humanos, queremos ter filhos. O filho externa e aflora nosso amor. Antes, achávamos que estávamos aqui na terra pra procriar e dar continuo a espécie. É por isso que o filho era tão exigido pela sociedade. Uma obrigação e um legado deixado aqui.
Nos dias atuais com tanta informação a nossa disposição, percebemos uma mudança. Muitos ainda querem filhos e família! Isso é ótimo. Mas cada vez mais vemos pessoas desistindo da procriação e se perguntando muito mais o que fazemos aqui na Terra. Porque estamos aqui? Porque???
Talvez por estarmos longe de ter atingindo nossa missão aqui, tivemos que mudar nossa estratégia de amar e aprender a amar. Não focamos mais tanto em ter filhos e viver somente para eles. Mudamos nossas ambições e aspirações. Queremos muito amar e transmitir o amor, mas de outras maneiras que não se restringem ao âmbito familiar.
O amor que parece um sentimento tão intrínseco ainda não conseguimos senti-lo tão plenamente e nem dar tão intensamente quanto achamos que damos. Não conseguimos amar tão altruistamente ou como se diz pelas redes sociais: amo incondicionalmente! Creio que temos que galgar um pouco mais.
Mas certamente estamos no caminho e creio eu, no caminho certo.


quarta-feira, 7 de junho de 2017

Já faz um tempo que não passo por aqui!

Realmente quando a vida está mudando e vamos ao mesmo tempo mudando, nossos sentimentos ficam bem confusos e parece que vamos sucumbir.
É nesse momento que vemos quão forte somos...
{Nóix é ruim, bichão!} como eu mesmo já dizia. E essa expressão significa que pode o mundo cair, que somos duro na queda. Aguentamos qualquer pancada... Sustentamos a cruz que vier!
Isso tudo nos fortalece.

Tanta coisa tem acontecido: comprei um cachorro LINDO! Parece um vira-lata, mas juro que tem Pedigree; a reforma do apartamento está a todo vapor... comecei na lua crescente para não ter risco de parar e olha que esta dando mega certo!!! {se a Lua faz os nenéns nascerem, certeza que ela resolve a vida das pessoas, se acompanharmos de pertinho! hehe}; meu trabalho está cada dia mais desafiador.

Mas no final, a conta está fechando e vamos andando pra frente.

=)

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Trabalho em Família

Se eu tiver que relatar uma experiência em minha vida, caro coleguinha, é sobre trabalhar em família.
Minha vida profissional começou quando eu tinha 17 anos e saia do colegial {hoje, no auge dos meus 33 aninhos, nem sei mais qual seria a nomenclatura para tal}. 
Trabalhei na empresa dos meus pais por 04 anos e então arrumei um estágio relacionado à faculdade que fazia: hotelaria.
Sim! Fui ser hoteleira. Na verdade mesmo eu era recepcionista, mas hoteleira fica mais glamouroso.
Ganhava pouco mas me divertia, apesar que não me recordo quando ganhei muito.
Enfim... fiquei 10 anos fora da empresa familiar de meus pais. Fui hoteleira por apenas 2 anos e fiquei 08 anos num escritório de gestão de investimentos. Era legal. Mas senti que eu precisava de algo mais. Por algum motivo que não sei explicar bem, fiquei acomodada e isso me cansava. Pedi as contas e então meu pai disse que era hora de eu voltar a trabalhar com eles em nossa empresa.
E assim se fez...
Um adendo que posso dizer é que eu nunca realmente escolhi meus empregos. Sempre fui correndo, abraçando uma oportunidade com receio de ficar desempregada. Também não sei explicar todo esse meu medo de ficar desempregada, afinal meus pais podem até hoje me sustentar sem eu desprender de nenhum real do meu bolso, como é feito até hoje. 
Sim! É uma vergonha... mas é a minha vida. E eu até que gosto de não ter essa preocupação na vida.

Na verdade depois que voltei a trabalhar com meus pais, após 10 anos trabalhando como uma mera empregada, descobri que minha vida era simples até então. 
Ganhava meu salário, bônus, 13º salário... Trabalhava e sonhava com a próxima viagem. Trabalhava e me programava para o final de semana. Trabalhava e curtia basicamente. Mas eu sentia um vazio.
Sentia que não era produtiva o suficiente e que poderia ser mais. Talvez que eu tivesse me acostumado com o trabalho ou talvez por que lá era um escritório pequeno, não via onde mais poderia crescer... vai saber! Eu gostava muito de lá, mas sentia que meu tempo já tinha dado.
Ah! Que saudades daquele tempo. 

Quando comecei a trabalhar com meus pais, foi o primeiro dia útil de 2015. Foi quando vi a realidade bater a minha porta. 
Pensava que teria horários mais flexíveis - contanto que eu esteja na empresa, é flexível.
Até aceitava ganhar menos, mas contato que trabalhasse menos - que ilusão!!! Trabalhe mais e ganhe menos, afinal eu vou herdar a empresa. Eu e meu irmão! Sabe aquele sonho de ser herdeira: então!! Eu serei... Herdarei trabalho que não acaba mais. 

Muitos acham que trabalho em família é fácil. Porque pai e mãe sempre relevam tudo.
Realmente não posso reclamar dos meus. Eles sempre me apoiaram em tudo, mas quando o lance é trabalhar para nossa empresa, as coisas mudam de figura. Não é tão simples.

Mas isso eu falo depois que esse aqui já esta grande demais.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Escolher

"Não o fizemos nem do céu nem da terra,
nem mortal nem imortal,
para que possa, com o livre-arbítrio e com honra, 
como se fosse o criador de si mesmo, 
moldar sua vida em qualquer forma que preferir.
Pelo julgamento de sua alma, você tem o poder
de renascer nas formas superiores que são divinas."
Discurso de Deus a Adão, na oração sobre a dignidade do homem, de Pico Delia Marandola


Eu estou lendo um textão {que na verdade é um pedaço de um livro que eu não sei o nome} sobre valores pessoais e havia esse trecho acima que é tão tão claro, mas pouco entendido pela humanidade.

Tudo na nossa vida são escolhas, exatamente tudo. Às vezes achamos que não podemos, que não temos escolhas, mas eu sinceramente não acredito nisso.
Acredito em escolhas compartilhadas, como aquelas feitas em casal, por exemplo.
Muitas pessoas pensam que quando arrumarem o emprego X ou quando casarem as coisas serão diferentes e mudarão. Sim mudarão mesmo. Essas pessoas tem razão. Mas nenhuma dessas mudanças será por sua escolha. Essas mudanças serão realizadas de acordo com a decisão de outras pessoas pois quando colocamos nossas vidas nas mãos de outros temos que aceitar a mudança que vier. Temos que aguentar as consequências e circunstancias criadas por outras pessoas que muitas vezes não estavam em nossos planos e o que é pior: temos que lidar com situações que muitas vezes não estávamos preparados. 
Algumas pessoas enxergam nisso uma oportunidade outras um desafio tão grande que perdem as forças e desenvolvem problemas psicológicos ou desanimo profundo. 
É... seja consciente ou inconscientemente tomamos decisões e fazemos escolhas o tempo todo. Até quando colocamos nossas vidas nas maos de outras pessoas, isso é uma escolha, mas cabe a nós sabermos se iremos aguentar o que está por vir.

Já vi algumas mulheres dizer: "quando eu casar, vou parar de trabalhar, pois ele vai trabalhar e eu vou somente cuidar das crianças." Ledo engano. É aí que elas começam a trabalhar ou porque se separam ou porque a renda não sustenta tudo que se deseja ou simplesmente porque ele não consegue emprego. Imagino o tamanho da frustração dessas mulheres. Mas perceba que colocar sua vida nas mãos de outra pessoa, você está totalmente vulnerável. 

Não se cobre, não se culpe e não jogue todos os seus problemas para os outros. Aceite sua vida e faça dela o espelho das suas decisões.

=)


sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Gradycida

Manoooo do céu!!! (quando você ler essa frase, você põe a mão na boca. Agora tenta de novo!)
Dá mais ênfase.

Eu quero simplesmente agradecer. Hoje eu lindamente agradeço por estar em casa numa sexta-feira a noite, anti véspera de natal e estar plena. Em paz. Feliz. Grata. Abençoada. 

Por mais muitas incertezas pairam no ar e muita coragem ainda esteja guardada, eu entendo que tudo tem sua hora. Tudo deve acontecer de maneira natural e que somente o tempo nos proporciona tais fenômenos.

Não sei se posso chamar de sapiência ou de fé, mas eu sei que por mais incertezas e certezas, algumas atitudes levam tempo para serem executadas. Alguns passos são bem pequenos, curtos e lentos para que os saltos possam ser bem altos.

Posso chamar de sapiência porque me sentir grata por estar em paz, é algo que vem com o tempo e as experiências de vida que nos mostram como a vida pode ser leve se plantarmos certos e aguardarmos a hora da colheita. 

E posso chamar de fé pela certeza que envolve não apenas meu coração, mas todo o meu ser.

Agradecer é realmente uma festa para a alma. É uma dança lenta a dois daquelas bem coladinha para o corpo. É ainda aquele sussurro ao pé do ouvido ou aquele cafuné numa noite fria de agosto. 

Agradecer é a confiança que tudo de bom e ruim que nos acontece é sempre para o nosso melhor.

Feliz por estar exatamente onde estou. Feliz por fazer parte do mundo :)


quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Leituras felizes

Incrivelmente eu estou lendo dois livros ao mesmo tempo.
Tá! Não é tão incrível assim porque não é a minha primeira vez. Já fiz isso outras vezes. Mas quando eu menciono isso, a grande maioria das pessoas pessoas me perguntam como eu consigo, se eu não confundo uma história com a outra e tal... 
A verdade é que não tem como confundir. Geralmente eu fazia isso com livros de assuntos bem distintos, mas não tem como confundir. É como assistir novela e seriado ou pausar um filme na metade e um reality show. Quando volto a ler, as memórias do que já li vem imediatamente em minha cabeça e não tem essa confusão. Simplesmente não existe. 

Mas o fato é que não estou aqui para falar das minhas habilidades literárias. Estou aqui mais para falar de como a gente atrai as coisas quando estamos bem sintonizados. Alguns falariam que seria uma coincidência da vida. Eu acho mesmo que é sintonia e energia. Força do pensamento e leis do universo mesmo.

Bom, nos últimos tempos tenho sentido necessidade de ler e despenquei até a Saraiva e escolhi um livro de auto-ajuda/inspirações da Elizabeth Gilbert que chama Grande Magia - Vida Criativa sem Medo. Comecei a ler e estou adorando. Em paralelo eu tenho estudado a Kabbalah ou Cabala e me deu vontade de ler um livro indicado pelo professor da Kabbalah, que chama Tornar-se Como Deus. Ele até que é auto-ajuda e pode parecer presunçoso, mas na verdade eu achei bem interessante pelo simples fato que pareceu-me óbvio quando ele diz que se somos imagem e semelhança de Deus, então em nossa essência, somos exatamente como Deus. E mesmo se você não acredita na Bíblia, pois isso está lá, digo que somos feito de luz a essência da luz é criar, então posso criar qualquer coisa também. 
Algo que eu disse 2 ou 3 posts atrás: pessoas de carne e osso criaram coisas inimagináveis antes deles. Porque não eu? Porque você não pode ser esse criador? Porque eu não posso ser essa inspiração?! A frase que eu sempre proferi sem grandes intenções "Tudo posso naquele que me fortalece" faz cada vez mais sentido e tem cada vez mais intenção.  

Eu sempre digo essa frase quando vou comprar algo e 'choro' um desconto e o vendedor me fala: 
-Não posso!, imediatamente eu retruco: - Lógico que pode, sabe porque? porque tudo posso naquele que me fortalece. E todo mundo ri. Alguns mais esforçados até que fazem um descontinho outros ficam sem graça mesmo e só ri. 

Mas isso mais que um dizer bíblico, nos mostra o quão poderosos podemos ser. Tanto um livro quanto o outro dizem basicamente a mesma coisa. Um com mais embasamento bíblico outro com mais teorias das leis do universo, o que descobre-se que no final é tudo a mesma coisa. 

Percebemos que a religião é apenas uma forma, criada pelo ser-humano para dar mais veracidade às leis da vida e do universo. Talvez, sem religião, as pessoas não cressem tanto. O fato de haver uma figura física inspira e fortifica a fé das pessoas. 

Só me entristece que muitas pessoas pegam a força da religião para usar as pessoas e travar guerras. Isso sempre aconteceu. Desde que mundo é mundo e existe relatos sobre a civilização. Uma pena.

Mas o importante mesmo é que temos diversos modos de enxergarmos as verdades da vida. Seja ela através de religiões, através de leituras neutras ou quando temos que aprender pela dor mesmo que é bem difícil mas faz parte da evolução humana. 
Abrir espaço no coração e mente para aprendizados nunca nos transformará em seres-humanos obsoletos. Seremos sempre interessantes. 

E ser interessante nunca sai de moda!!!! :)

Verde mais verde.

A vida sempre nos mostra como tudo depende da forma com a qual encaramos.
Eu vivo uma vida do estilo classe média e assim são meus amigos, claro!
A gente sempre conversa como gostaríamos de não ter problemas financeiros, como não queríamos nos preocupar com isso, afinal a vida já tem tanta coisa com as quais deveríamos nos preocupar e dinheiro não deveria ser uma delas.
Pois bem, eu sou dessas que adora ver um drama da vida alheia portanto, assisto esses reality shows de famosos e famosos quase nunca falam sobre problemas financeiros, por dois motivos básicos:
1) quase nenhum tem problemas financeiros
2) e muito dos famosos querem aparecer pelo dinheiro que possuem, então não faz sentido falar sobre problemas financeiros.

Bom, daí você começa a ver os dramas das pessoas e percebe que até que é okay ter problemas financeiros.
Uns perderam precocemente algum ente muito MUITO querido [algo que não tem conserto :( ], os que não perderam ninguém, tem grandes problemas com algum(s) ente MUITO querido. Sem mencionar nas inseguranças e todas as incertezas que os rondam.

No fundo, os problemas financeiros que temos são simplesmente porque sempre queremos ter mais matéria. Carros melhores, roupas melhores, mais viagens, mais saídas em restaurantes, melhores celulares. Aquela velha história de ter mais daquilo que não precisamos. Em circunstância alguma seria problemas financeiros relacionado ao básico como alimentação e moradia, por exemplo. Nem vou citar vestuário porque poderíamos passar anos sem comprar uma peça de roupa simplesmente porque já temos um estoque grande disso, especialmente nos dias atuais que todos os estilos estão na moda.

Eu sempre digo que tudo, exatamente tudo pode ser um sinal. Até aquele programa fútil que a gente assiste, aquela novela chata no final do dia ou aquele programa bobo de domingo, podemos ter algum aprendizado se acreditarmos que nada é por acaso. Muitas vezes assistimos algo na TV por pura diversão e distração, mas outras tantas vezes podemos tirar algum proveito.
Hoje assistindo uma entrevista eu tive esse pensamento justamente porque passei o feriado com minhas amigas e um dos temos foram esses: como seria ótimo não termos problemas financeiros.

Mas tenho algo comigo que aprendi que devemos muito observar nossos pensamentos, principalmente aquele pensamento que vem aleatoriamente em nossa mente. Às vezes do nada a gente lembra de um fato ou acontecimento ou uma frase repentina que lemos ou ouvimos. Quando isso acontece é porque pode ter alguma conexão e devemos pensar sobre isso e tirar algum tipo de proveito.
Foi assim hoje. Fiquei até que aliviada em ver que meus problemas são apenas financeiros. Sei que podemos inventar várias medidas para economizar ou gerar mais receitas. Somos inteligentes e podemos criar tudo que quisermos, inclusive temos total capacidade de criar nossa vida, porque quem manda aqui sou eu...kkkkkk e a vida fica mais fácil sem grandes perdas e com apoio total daqueles que amamos.

A minha grama é mais verde sim!!! :)

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Exerça sua criatividade

Eu sempre acho que deveria estar inspirada a escrever ou caso não esteja inspirada, eu deveria me esforçar mais  para encontrar a inspiração, para que novas ideias surjam.
No fundo rola ser assim, mas eu teria que só fazer isso da minha vida e por enquanto eu ainda não consigo me sustentar com isso. Eu tenho 2 sonhos: 1) ser escritora de romance/ auto-ajuda daquelas-bem-inteligentes; 2) ser cantora de festas-de-casamentos.
Nossa! Eu amaria ser esse tipo de cantora. Já tenho planos para aulas de canto e tal...
Todo mundo fala que tanto pra ser escritor e cantor tem que ter nascido com o 'dom'. Eu acredito em partes. Acho simplesmente que quem nasce com isso TALVEZ se esforce menos para alcançar o sucesso.
Eu acredito muito que com persistência e dedicação, podemos ser qualquer coisa. Penso primeiramente que todos aqui são 'sérumaninhos' lindos. Hehehe
De verdade: acredito muito que todos que fizeram a diferença são principalmente seres-humanos a começar por Jesus Cristo. Eisten, Tesla, Darwin, Hitler (não esqueçamos do mal), Michelangelo, Jobs, Luther King, Mandela, Madonna, Anne Frank, Adele, John Lennon, Elvis... Enfim! Temos uma infinidade de homens e mulheres, exatamente como nós somos, que fizeram toda a diferença aqui em nosso mundo. Alguns mais persistentes, outros mais audaciosos, uns mais dedicados. Mas TODOS estavam 100% focados no que queriam.
Dai eu lhes pergunto: Porque não eu? Porque não a gente? A diferença é que sempre colocamos outras coisas como prioridades. Sempre nos sabotamos. Sempre deixamos nossas ideias, inspirações, criações, criatividade, ideologias, vislumbres ou qualquer coisa similar pra depois. Nunca damos a devida atenção.
Pense que essas pessoas fizeram, até então o impossível. Quando em 1813 iriam imaginar um smartphone?
Quando no ano de 523 d.C se imaginaria num relógio mecânico, ou numa simples prensa que hoje se tornaram as impressoras? Carros, aviões, armas de fogo, são muito muito recentes se contarmos que o mundo existe a mais de 5.700 anos de quando começaram a contar.
Então tudo isso era somente sonho ou quem sabe alucinações, que alguém teve a audácia e a coragem de realizar. E acreditem: tem dado certo.
Não quero entrar aqui na questão ambiental e a que custo o planeta está pagando porque isso é outro problema, que tem mais a ver com ganância e não estamos aqui pra falar dos defeitos individuais de cada pessoa.
Imagina se euzinha dizer algo assim!? Que parecia impossível, fui lá e fiz. Eu. Marianna Barbati.
Já me vejo recebendo o Nobel. Kkkkkkkkkk

Bom, o que eu queria mesmo dizer desde o começo é que vamos ter mais atenção às nossas ideias, criatividade, intenções. Nunca sabemos o quão genial podemos ser até que realizamos. E tentar nunca fez mal nenhum aos grandes mestres do mundo.
=)

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

A vida e a bebida.

Por que toda vez que o assunto é álcool, as pessoas tratam isso como exagero? Como se o álcool não fosse algo destrutivo, viciante e degradante?
Só porque é lícito não significa que é legal.
Não canso de ver as pessoas se gabando por beber. É uma competição tão babaca de quem bebe mais, de quem faz mais merda porque bebeu e um orgulho tão grande em relação a isso, que me enoja. 
Todo mundo trata a bebida como algo normal. "Eu trabalho a semana inteira e por isso faço questão de beber aos finais de semana", como se isso fosse um prêmio. À mim, me soa mais como uma desculpa. 
Porque a pessoa não faz algum bem para a sociedade e para o mundo ao invés de sair por aí tendo que beber? Parece uma obrigação. Até algo que deveria ser divertido, se torna uma obrigação. Deve ser por isso que sempre surge briga em bares.
Eu bebo. Não sou nenhuma abstêmia. Não estou aqui também julgando diretamente uma pessoa. Mas queria muito que todos nós tivéssemos mais consciência quanto ao álcool. Não é somente diversão. Existe muitos e muitos problemas relacionados a isso que a grande maioria da população ignora porque é mais fácil.
Eu quero muito que as pessoas entendam que vício não é aquele que você pratica todos os dias. Vício também se dá àqueles que não sabem quando parar. 
Vejo muitas pessoas por aí que não se consideram alcoólatras ou viciadas simplesmente porque não bebem todos os dias. Ao meu ver, isso é uma ideia bem distorcida. 
Um alcoólatra se dá quando ele não sabe a hora de parar de beber, não importando sua frequência. Se ele bebe uma vez por ano e nessa única vez vai até o limite do corpo, não sabendo dizer não para o próximo copo é porque não tem auto-controle suficiente e não deveria nem ter começado a beber. Isso para mim é um alcoólatra.
Nós deveríamos entender que se temos que atingir uma certa maturidade para beber, temos que ser  maduros e corajosos para saber parar. 
Só porque é lícito e as pessoas consomem normalmente como uma forma de prêmio e essas mesmas pessoas se esquecem que tem alguém bem próximo com exatamente esse problema: o álcool.
Eu não conheço nenhuma família livre do alcoolismo. Nenhuma! Se não são pessoas que vivem no mesmo teto que o seu, é seu tio, seu avô, cunhada, prima... enfim!
Desconheço uma só família brasileira que não tenha passado por algo do tipo e o que mais me entristece é que as pessoas julgam tão normal beber que não conseguem olhar para si mesmas, dentro das suas próprias casas e refletir o quanto a bebida prejudica, não apenas a saúde de quem ingere mas acaba com a saúde emocional, bem-estar e diretrizes de um lar. 
Não acho que as pessoas deveriam parar de beber para sempre, mas acredito que as pessoas deveriam se poupar mais. Perceber que se não tem controle, não comece. Mas se o caso é de parar para sempre, então eu apoio 100%. 
Tenha coragem para dar o primeiro gole e tenha mais coragem ainda para parar. Ou então não comece.
Eu não acredito que isso seja um exagero da minha parte. Assim também como pouco acredito que as pessoas se colocarão a disposição de ler tudo pois a grande maioria acha babaquice.
Mas se ao menos UMA única pessoa ler e se conscientizar que beber pode ser divertido a partir do momento que souber quando parar, já me considero vencedora e considero uma vitória principalmente para a sociedade. 
Nem quero entrar nos méritos maléficos da bebida como agressividade, incapacidade de raciocínio (demência), perda de tecido muscular (fraqueza), depressão... e mais uns trocentos problemas.
Só quero mesmo que as pessoas tomem consciência sobre o primeiro e o último gole. Tudo começa em se auto-conhecer para saber se deve ou não dar o primeiro passo.
Não encaro mesmo como um problema do submundo. É uma grande crise que atinge a todos e ninguém da a real importância a isso. 
A única campanha que temos forte no Brasil é: Se beber não dirija. Como se esse fosse o único mal. Não estou desmerecendo a campanha. Acredito ela fundamental e de grande valia. Mas o problema do álcool vai muito alem da direção combinada com a ingestão alcoólica. 
Tudo começa exatamente no consumo. Diminuir o consumo sim, deveria ser o grande foco.

Enfim...
Acho que foi mais um desabafo. Espero mesmo que pensem melhor sobre isso.

=)