segunda-feira, 5 de setembro de 2016

A vida e a bebida.

Por que toda vez que o assunto é álcool, as pessoas tratam isso como exagero? Como se o álcool não fosse algo destrutivo, viciante e degradante?
Só porque é lícito não significa que é legal.
Não canso de ver as pessoas se gabando por beber. É uma competição tão babaca de quem bebe mais, de quem faz mais merda porque bebeu e um orgulho tão grande em relação a isso, que me enoja. 
Todo mundo trata a bebida como algo normal. "Eu trabalho a semana inteira e por isso faço questão de beber aos finais de semana", como se isso fosse um prêmio. À mim, me soa mais como uma desculpa. 
Porque a pessoa não faz algum bem para a sociedade e para o mundo ao invés de sair por aí tendo que beber? Parece uma obrigação. Até algo que deveria ser divertido, se torna uma obrigação. Deve ser por isso que sempre surge briga em bares.
Eu bebo. Não sou nenhuma abstêmia. Não estou aqui também julgando diretamente uma pessoa. Mas queria muito que todos nós tivéssemos mais consciência quanto ao álcool. Não é somente diversão. Existe muitos e muitos problemas relacionados a isso que a grande maioria da população ignora porque é mais fácil.
Eu quero muito que as pessoas entendam que vício não é aquele que você pratica todos os dias. Vício também se dá àqueles que não sabem quando parar. 
Vejo muitas pessoas por aí que não se consideram alcoólatras ou viciadas simplesmente porque não bebem todos os dias. Ao meu ver, isso é uma ideia bem distorcida. 
Um alcoólatra se dá quando ele não sabe a hora de parar de beber, não importando sua frequência. Se ele bebe uma vez por ano e nessa única vez vai até o limite do corpo, não sabendo dizer não para o próximo copo é porque não tem auto-controle suficiente e não deveria nem ter começado a beber. Isso para mim é um alcoólatra.
Nós deveríamos entender que se temos que atingir uma certa maturidade para beber, temos que ser  maduros e corajosos para saber parar. 
Só porque é lícito e as pessoas consomem normalmente como uma forma de prêmio e essas mesmas pessoas se esquecem que tem alguém bem próximo com exatamente esse problema: o álcool.
Eu não conheço nenhuma família livre do alcoolismo. Nenhuma! Se não são pessoas que vivem no mesmo teto que o seu, é seu tio, seu avô, cunhada, prima... enfim!
Desconheço uma só família brasileira que não tenha passado por algo do tipo e o que mais me entristece é que as pessoas julgam tão normal beber que não conseguem olhar para si mesmas, dentro das suas próprias casas e refletir o quanto a bebida prejudica, não apenas a saúde de quem ingere mas acaba com a saúde emocional, bem-estar e diretrizes de um lar. 
Não acho que as pessoas deveriam parar de beber para sempre, mas acredito que as pessoas deveriam se poupar mais. Perceber que se não tem controle, não comece. Mas se o caso é de parar para sempre, então eu apoio 100%. 
Tenha coragem para dar o primeiro gole e tenha mais coragem ainda para parar. Ou então não comece.
Eu não acredito que isso seja um exagero da minha parte. Assim também como pouco acredito que as pessoas se colocarão a disposição de ler tudo pois a grande maioria acha babaquice.
Mas se ao menos UMA única pessoa ler e se conscientizar que beber pode ser divertido a partir do momento que souber quando parar, já me considero vencedora e considero uma vitória principalmente para a sociedade. 
Nem quero entrar nos méritos maléficos da bebida como agressividade, incapacidade de raciocínio (demência), perda de tecido muscular (fraqueza), depressão... e mais uns trocentos problemas.
Só quero mesmo que as pessoas tomem consciência sobre o primeiro e o último gole. Tudo começa em se auto-conhecer para saber se deve ou não dar o primeiro passo.
Não encaro mesmo como um problema do submundo. É uma grande crise que atinge a todos e ninguém da a real importância a isso. 
A única campanha que temos forte no Brasil é: Se beber não dirija. Como se esse fosse o único mal. Não estou desmerecendo a campanha. Acredito ela fundamental e de grande valia. Mas o problema do álcool vai muito alem da direção combinada com a ingestão alcoólica. 
Tudo começa exatamente no consumo. Diminuir o consumo sim, deveria ser o grande foco.

Enfim...
Acho que foi mais um desabafo. Espero mesmo que pensem melhor sobre isso.

=)

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Desilusão do Brasilsão! :(

Eu estou profundamente desiludida. Mas profundamente mesmo.
Ontem mais um dos nossos presidentes, democraticamente eleito foi deposto de seu cargo.

{De 04 presidentes eleitos, 02 foram impeachmados. Onde está o erro? Neles ou em nós que os colocamos ali? }

Concordo com vocês que torci muito para isso. Sou a favor do impeachment. Torci por uma mudança, torço por um Brasil melhor e mais justo. Torço ainda por uma renovação de ideologias demagogas do nosso povo.
Mas da forma como tudo está sendo conduzido, me dá medo. 
Eu, no auge dos meus 33 anos de idade, não consigo mais acreditar na transformação de nosso país por uma instituição idônea. 
Parece-me que tudo foi um circo armado para nos iludir ou pior: para nos dar um cala a boca.
Eu sempre ouvi todo mundo dizer: "roubar é normal na política, faz parte!" 
No mundo que eu vivo, os meus princípios e os princípios da grande maioria da sociedade que vive no planeta Terra (porque se tem vida em outro planeta, ainda ninguém me apresentou de fato para eu comparar), roubar NÃO é normal. Não importa o que se roube. Roubo é roubo. Há alguns países (ou dependendo do meio - pessoas) que matam aquele que roubou, prendem, cortam as mãos. Então porque na política do Brasil isso se dá diferente? Alguém pode me explicar o porque????
Eu sou a favor do impeachment da Dilminha porque simplesmente sou a favor de uma mudança. Não é nada pessoal ou partidário. Não morro de amores pelo Michelzinho e sua bela esposa, não odeio o PT, não apoio os tucanos.  Sou a favor de um Brasil governado por pessoas decentes, assim como eu sou, meus amigos são, meus familiares SÃO também. Pessoas que não se vendem ou pessoas que não sejam corruptíveis. Quero ideias que apoiem o coletivo, a comunidade. E ah!!! Sou a favor do capitalismo também. Aquele que para você enriquecer, tem que trabalhar honesta e livremente. 
Quero muito acreditar que essa zona que o Brasil vive, comece a mudar e evoluir. Quero acreditar que talvez esse impeachment, politize as pessoas para que em outubro, vote melhor e que em 2017 cobremos aqueles que elegemos para administrar nossa cidade. 
Eu quero acreditar, mas está muito difícil.
Está muito difícil porque agora virou também ego. 
Essas pessoas que estão tornando a vida da Dilma um mártir, vão realmente pensar em votar ou irão simplesmente continuar votando no partido para 'vingar' a presidente deposta?
Onde as pessoas que estão ali são coitadas que sofreram um golpe? Onde? Ninguém está ali aleatoriamente. Ninguém no Brasil foi injustiçado. É uma grande cena. 
Espero que não sejamos iludidos para vivermos acomodados na esperança do Brasil melhor.
Simplesmente não acredito que vamos vencer.

Só acredito que o povo continuará trabalhando e seguindo, pagando sabe-se lá que preço para continuarmos em frente. Sempre em frente. Sem pensar e sem analisar onde estão nossos erros e onde podemos evoluir.
Seguimos em frente, sem evolução, sem solução.



terça-feira, 16 de agosto de 2016

Tudo (não) é obrigação

Eu fico só observando como a gente se cobra em tudo.
Já começa que nos cobramos que para viver nesta vida temos que ser magras e isso já elimina um pouco do prazer de comer sem culpa alguma, ainda mais agora que existe um adendo nesta regra: saudável. Não adianta ser somente magra, queridinha! Temos que ser magras e saudáveis. Portanto tudo depende muito mais da qualidade do alimento que ingerimos. 
Mas isso se torna ilusório meu bem, uma vez que 90% das vezes não sabemos exatamente a procedência do ingrediente ingerido. Só temos essa certeza absoluta em casa ou em algum local de extrema confiança.
Daí quanto queremos nos divertir, temos que ir a algum lugar badaladinho ou caçar Pokemon e TEMOS que postar nas redes sociais e porque isso?? Porque é legal mostrar para o mundo o que está fazendo da vida, além de caçar Pokemons.
Hoje eu só tenho vontade mesmo é de ler livros, de preferencia em casa mesmo, com aquela roupa bem velha e até rasgada. Sem maquiagem e sem cabelos arrumados. Sem unhas feitas e sem acessórios (apesar de ter alguns que não tiro para nada). 
Eu só tenho vontade mesmo da minha companhia, dos meus pensamentos. Engraçado como me fecho e mergulho profundamente em mim mesma. Talvez seja do meu signo. Mas creio mais na minha personalidade egocêntrica.
Não quero parecer nada para ninguém. Mas quero SER inspiração de alguma forma para aqueles que estão ao meu redor.
Ser leve, natural e sem obrigações é como a vida deve ser vivida. Sem amarras, sem desacordos.
O complicado mesmo é fazer-se cumprir todos os nossos desejos. 
Naturalmente temos que fazer concessões. Naturalmente temos até que mudar de ideia e de desejos. Mas só peço que sejam feitos de forma espontânea e alegre, assim voltamos à parte do leve e natural.
Só desejo àqueles que aqui pararam para uma breve lida, dias sem complicação, obrigação e indagação.

domingo, 14 de agosto de 2016

Faça só hoje

Eu estou fazendo um exercício psicológico por dia. Na verdade não sei qual nomenclatura usar. Já mudei várias vezes. Mas acho que esse nome se encaixa bem.
Estou lendo um livro baseado nos ensinamentos da cabala (kabbalah) que sugere isso. Realmente está sendo legal e desafiador.
É uma leitura que faço toda manhã, assim que acordo e lá fala sobre o desafio e uma pequena meditação. 
O que tenho mais gostado disso é que acabo fazendo os exercícios meio que instintivamente.
Hoje o exercício é enxergar a beleza nas coisas. O paraíso na terra. 
Bom, sai pela manhã para uma corridinha mas como não estou fazendo muitas atividades esses dias (ando preguiçosa), não me encontro na melhor disposição física. Logo me cansei mas como uma boa brasileira que não desiste nunca, decidi fazer um caminho de volta para casa mais longo. 
Moro num bairro totalmente residencial e cheio de casas, apesar de eu mesma morar em apartamento. Acredito que 90% do meu bairro é composto de casas. Na volta, com calma e caminhando comecei a notar inteiramente meu redor.
Domingo de sol, dia dos pais...percebi que está mais agitado que o normal. Pessoas nas ruas, carros chegando para o almoço, pessoas sorrindo. A maioria das casas que normalmente parecem esquecidas, nota-se movimentos. E o cheirinho de comida no fogão? Cada casa que eu passava na frente, sentia um cheirinho diferente, um cheirinho gostoso de comida fresquinha. Existe algo melhor? Todo mundo esperando suas visitas. Alguns estavam limpando a garagem, arrumando o jardim, outros pintando o portão e todos querendo dar o melhor para quem chegava. Essa motivação é sensacional. 
E aqui em casa não foi nada diferente.  Sai com meu pai fazendo uma feijoada. É! Feijoada de domingo. Aqui a gente gosta de mudar... Como nunca fazemos o trivial, a feijoada é realmente especial. 
Todos os dias fazemos tudo tão automático que não vemos as coisas ao nosso redor. Até quando vou correr na rua, que gosto muito pois é uma das poucas coisas que não utilizo o carro, faço o mesmo caminho, vou até um certo ponto e volto. Meio que no automático. Posso até ir um pouco mais longe, mas sempre na mesma direção. 
Mas quando as coisas estão em nosso subconsciênte, a gente faz. 
É isso que tenho aprendido esses dias. Começar nosso dia com positividade e boas atitudes, faz toda a diferença da vida. 
Quando a gente lê que podemos mudar nossa vida, realmente podemos sim se agirmos diferente nos pequenos detalhes do dia-a-dia. 
Não precisamos de nada extraordinário e de nenhum acontecimento mágico para que isso aconteça. Somente sermos diferentes um pouquinho por dia.

=)

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Gradycida!

Seja obsessivamente grato
Demorei um pouco, mas voltei! 
To muito ocupada... [falou a Angela Merkel! kkkk]

Me encontro numa fase muito espiritual. 
Quando falo espiritual é sobre a minha busca incessante em me tornar mais espiritualizada. Não estou falando da religião espírita [apesar de não ter nada contra, até frequento, mas aqui o lance é outro].
E nessa minha busca, tenho lido, assistido procurado bastante sobre o tema e é universal o uso e exercício da gratidão. 
Manifestar-se grato, sentir gratidão, agrado, agradecer sempre é o início de tudo.
E isso no fundo nada mais é que um exercício que depois se torna hábito e então você passa a exercê-lo sem esforço e sem perceber.
Mas o melhor de tudo é que praticar a gratidão te abre novos pontos de vista.
Todo mundo fala que quando praticamos a gratidão a vida realmente muda. A partir do momento que ouvimos isso, a primeira coisa que nos vem à cabeça é algo novo que acontecerá... um milagre. Mas no fundo mesmo é que mudamos nossos pontos de vista.
Praticando a gratidão, percebo que minha mente se expande e minhas ideias para tudo aquilo que eu tinha certeza muda. Fiquei menos cética, menos crítica, menos juiz. Juiz mesmo porque eu adoro fazer um julgamento. É do meu signo isso, como dizem por aí.
Bom, quando tudo isso acontece, paramos de nos desesperar e percebemos que qualquer acontecimento que não faz parte dos nossos planos é uma oportunidade e não um problema.
E encarar as surpresas da vida como uma oportunidade nos deixa tão leves e calmos que realmente vale a pena.
É onde encontramos a plenitude. Para mim, praticar essa gratidão é o que me faz perceber quanta coisa linda a vida nos proporciona. Como precisamos apenas estar tranquilos para receber a vida por inteiro.
A vida é esses altos e baixos que nos persegue. A vida é ser feliz e triste, ser amado e ser odiado, a vida é amar e odiar. Sentir e inspirar sentimentos. É trabalho, descanso, lazer, irritação, prazer, preocupações, frustrações e realizações.
Só sentindo tudo da vida e agradecendo todos os altos e baixos é que entendemos que viver pode ser além de seguir em frente. Viver pode ser além de realizar tarefas. Viver é sentir cada suspiro.

Obrigada!
Obrigada.
Obrigada

=)

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Viva e receba sua verdade.

Não adianta fugir, não adianta esconder, mentir, disfarçar ou distorcer! 
A grande verdade da vida é que recebemos exatamente o que entregamos.
Não somos exemplo para ninguém, somos a verdade. Nós vivemos relacionamentos, entende? Se não, vou tentar explicar.

Sabe quando você mulher ou homem, que está louco para se firmar num relacionamento sério e nessa vontade insana, sai por aí testando todo mundo que aparece? Pega geral, meio que sem critérios para ver o que vai dar? Daí, mesmo assim, você não consegue nada sério com ninguém?! Então quem dessas pessoas você está levando a sério realmente? Quem dessas pessoas você está se dedicando 100% ? Então porque você espera essa seriedade e dedicação de alguém?
Ah! Mas ninguém sabe de ninguém. Eu sei disfarçar. 
- Não, você não sabe!!!
Sabe porque não?! Porque não aparentamos ter um relacionamento. Nós vivemos um relacionamento.
VIVEMOS!
Não pense também que a primeira pessoa que você cruzar por aí e decidir que será diferente vai te corresponder da mesma forma. Mas acredite que energia atrai energias iguais e conforme você vai vivendo essa verdade, maiores as chances de acertar com o passar do tempo. 
Temos que realmente entregar. Doar. Compartilhar. 
Esta aí um dos sentidos de compartilhar que falei posts atras. Talvez aos poucos vou encontrando e descobrindo a real essência de COMPARTILHAR. 
Bom, voltando... E a partir do momento que vivemos, não existe disfarce, não existe aparência, não existe querer ser. Existe somente a VERDADE e é essa verdade que sempre voltará à sua vida.

Tem milhares de pessoas aí que vivem enrolando no trabalho ou enrolando nos relacionamentos (seja ele qual tipo for), e daí a vida da pessoa não anda e ainda não entende o porque! Ora... você recebe o que você entrega. Não se engane...

E não se iluda também! Com esse mundo globalizado, nem sempre pagamos na mesma moeda. 
Por exemplo, não é porque você trai que será traído. Não é porque você rouba que será roubado. Não é porque você mente que mentirão para você. 
Às vezes você rouba e vive doente. Às vezes você mente e sua família passa por diversos problemas que te preocupa demais. Às vezes você engana ou trapaceia e vive durango. 
Eu acho que o retorno vem onde te fere mais. 
Tem pessoas que não se importam em serem cornas. Tem outras que não ligam em ser ludibriadas e por isso ludibriam. 

"Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração."  {O acaso vai nos proteger, enquanto eu andar distraído.... vamos lá gente vamos cantar numa só voz... hehehehehe}

Então vamos entender que se quer uma vida mais próspera (prosperidade não é apenas relacionada a grana), entenda que você terá, se fizer o bem. Se propagar o bem, trabalhando sempre com a verdade seja lá com quem for, a vida será muito mais proveitosa.

=)

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Sonhar não custa nadinha.

Já que sonhar não custa nada... Diz ae: quais são seus sonhos?

Eu tenho um montão. De verdade!

Hoje o que eu mais quero fazer é uma peregrinação e logo... Isso mesmo: passar uns 10/15 dias
andando uns 25km por dia.
Caminhada mesmo daquelas que usa cajado, mochilinha nas costas, coragem e muita perseverança.
Quando eu conto desse meu desejo, não tem uma pessoa que não fala pra mim que eu não vou conseguir. A maioria me acha sem noção. Mas juro que eu morro de vontade e farei num futuro não muito distante. Vou contar como aconteceu isso: Um belo dia lá no comecinho de 2012 eu estava voltando de uma viagem de férias com meus pais (a gente geralmente passa o réveillon viajando e era um voo de mais ou menos 5 horas) dai decidi assistir o seguinte filme que estava em cartaz no avião: Em busca de um caminho. No começo achei ele meio chato mas como sou brasileira e não desisto fácil, continuei. Logo o filme começou a me entreter tanto, mas tanto que quando o filme acabou a única coisa que eu pensava era: quero fazer isso da minha vida!
À época eu achava que não era paupável. Não cabia na minha vida... Mas com o passar dos anos, essa vontade vem crescendo em escalas multiplicadoras (existe essa expressão? :/). E mulher encucada é mulher sem sossego. Enquanto eu não fizer eu não vou ficar tranquila. Já quero fazer agora em outubro desse ano. Decidi isso agora. Neste instante! Vou direcionar meus esforços para que isso ocorra.
Depois que eu voltar, quero escrever um livro também. Tenho certeza que terei inspirações para tal. É muita ilusão ou pretenção a minha? De verdade mesmo: quero muito!!! Eu não estou sendo irônica. Acho que nunca expressei tanto algo que eu quero. Costumo guardar esses desejos até se concretizarem. Mas acho que merece falar sobre isso. Na verdade é daqueles desejos que não cabem dentro da gente.
Penso que tantas pessoas por aí conseguem fazer, porque não euzinha? Também sou abençoada e inteligente. Tantos seresumaninhos como eu, você, de carne e osso fizeram, inspiraram, ensinaram, entreteram e descobriram uma infinidade de coisas e pessoas e daí eu volto a perguntar: porque também EU não? Eu sim! EU SIM! Também posso ser tudo isso e mais.
Sabem porquê? Sabem?? Porque eu sou muito legal. E não são apenas palavras de mamãe e papai não. Muitos outros não-parentes falam isso e eu acredito porque sou muito fofa.
Bom, depois que eu voltar da viagem, conto melhor sobre esses detalhes do desenrolar do acontecimento.
E como sou insaciável, em paralelo com a carreta escritora e inspiradora do mundo preciso tocar minha vida pessoal também... Casar, amar, ter filhos!
Não está difícil, vai!? Eu sinto que tudo dá (sem segundas interpretações, por favor. Vamos ser maduros aqui! #sqn).
Organizando direitinho, {todo mundo transa} tudo acontece.


Pinky: O que vamos fazer hoje a noite Cérebro?

Cérebro: A mesma coisa que fazemos todas as noites, Pinky - Tentar dominar o mundo!


É o que eu quero: conquistar o mundo! Vem planeta Terra. Vem que você tá ficando pequenina para mim hahahahaha



=)

Pensando um pouco demais

Eu continuo aqui na minha saga de compartilhar.
Na verdade eu assisto à algumas coisas da vida e me comovo e acho que temos que falar sobre isso.
Quase um desabafo.

Eu assisto uns programas que são puro drama. Adoro esses.
Segundas de emoção no Discovery Home & Healthy. Só por isso já sabemos do que se trata daquele dramalhão mexicano.

Tem um programa que se chama '90 dias para casar' e se trata basicamente de um lado americano e outro estrangeiro, assim o casal para ficar juntos nos Estados Unidos tem que casar em 90 dias para dar entrada no Green Card e prorrogar o visto de permanência no país. A partir daí existem milhares de variáveis e inseguranças. Muitas vezes o(a) gringo(a) tem que morar com os familiares do(a) americano(a).
Se duas pessoas do mesmo país já é complicado imagina aí outra cultura, com linhas de pensamentos bem diferentes e então você adiciona pessoas e pessoas nessa história. Mano do céu! É treta. Daquelas de chorar, das pessoas fazerem as malas, de expulsão...
Fora isso as pessoas criam regras para estarem umas com as outras.
Tá bom! Confesso que adoro regras. Mas quando se tem 90 dias apenas é só mais um problema que se cria dentre tantos que já tem que superar rapidamente.
Sou super a favor de contratos nupciais, ainda mais nesses casos. Mas tem que ser algo bem visto. Não dá pra favorecer só um lado. Tem que ser algo bem bilateral. E chegar nesse acordo pode ser bem estressante.
O fato é que o maior estresse está no tempo. É muito pouco tempo pra decidir algo tão importante.
Mas descobri outro fator:  que não importa tanto o tempo. Sempre tem um lado com mais certeza que o outro. Sempre tem um com tendência de desistir. Talvez por medo, talvez porque ainda não esteja seguro e confiante o bastante para saber se aguenta tamanha mudança. Sei-la. Existem milhares de razões mas o mais impressionante é que as pessoas mesmo assim vão em frente.
Se é bom ou ruim, não sei. Mas seguem em frente. E no final a vida é assim: seguir em frente!
:)

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Envie mensagens

Aconteceu algo comigo que preciso mencionar aqui.
Olha que coisa!Aqui está uma experiência que acho bem interessante em compartilhá-la seja lá com quem estiver lendo.
Talvez chegue a quem deva chegar, mesmo que seja apenas a uma única pessoa.

Lá vai!

Eu andava sonhando demais com uma pessoa que se fez muito presente na minha vida mas que agora não faz mais. Caminhos opostos... ou talvez essa pessoa quis mesmo se distanciar... vai saber! Sei que assim se deu e pronto. 
De alguma forma isso ainda eu sentia que talvez essa história pudesse estar mal resolvida. Mas confesso também que eu nunca fui questionar nada.

Então eu senti que chegou a hora de eu falar o que eu sentia de alguma forma. Pensei que uma mensagem seria ótimo. Sentei, respirei e ali no meu bloco de notas do celular comecei a escrever tudo o que eu sentia. Tudo que eu queria que a pessoa soubesse. Coloquei tudo para fora.
Em algum momento eu percebi que sonhar demais com uma pessoa pode ser mesmo algo mal resolvido. E esses meus sonhos eram realmente constantes. Quase que semanalmente. 
Quando eu cheguei ao fim da mensagem, com muitos desejos positivos e de bem, porque era o que eu realmente sentia, pensei: vou enviar. Dei um copiar e então fui interrompida com algo. Não me lembro o exatamente o que me interrompeu. Sei que me distraí com outros assuntos e essa mensagem nunca chegou ao seu destinatário. Simplesmente passou e eu acabei deixando esse assunto totalmente de lado. Me esqueci completamente.
Mas dali em diante, senti um alívio grande em relação a esse assunto. Meus sonhos cessaram e simplesmente não penso mais sobre isso. 

Realmente poderia pegar essa mensagem e enviá-la hoje. 
Mas sinto que o momento simplesmente passou. Se foi. E não vejo o porque enviar agora a mensagem.

O que eu realmente aprendi é que por mais que a mensagem não tenha chegado a quem deveria, minhas intenções foram postas para ela e de alguma forma, minhas intenções chegaram. De alguma maneira, tudo que talvez um dia me incomodou ou chateou, foram embora com todas as minhas intenções de bençãos e boas-novas. 
A mim, cabe levar e me apegar ao que eu quero e quero mesmo me apegar aos bons momentos. Porque são desses momentos que vivemos e são desses momentos que seguimos em frente, procurando sempre mais como os que passaram. A gente caminha em busca da alegria e é nisso que me apego. 

Talvez apenas escrever seja a melhor forma de enviar boas intenções àqueles que amamos e não temos mais contatos. Comigo a mensagem não precisou necessariamente chegar fisicamente ao destinatário. Talvez com você seja melhor entregar uma carta ou enviar um e-mail, WhatsApp, inbox... enfim... o que vale mesmo é dar o primeiro passo. É agir!

=)

Pergunte sempre

A pergunta é: Como vou vencer todos os obstáculos do dia de hoje?

Trabalhar pode ser um grande desafio pessoal. Muitas vezes temos que fazer algo que não gostamos e somos obrigados a sair da nossa zona de conforto constantemente. 
Imagina trabalhar na empresa da própria família?! Então... eu lhes digo que não é fácil. 
Muitos torcem o nariz quando digo isso. Acham que por eu trabalhar na empresa que meus pais fundaram, há 25 anos atrás eu venho aqui fazer volume. Acreditam que posso entrar e sair na hora que bem entendo, que minhas responsabilidades são mínimas. 
Acreditem: não é!
Não é nada disso. 
Todos os dias tenho que superar minhas limitações. Tenho que enfrentar meus medos e inseguranças para seguir em frente. 
Para mim, não tem sido uma experiência simples. Confesso que sinto muita vontade de me desligar daqui por completo e fazer outras coisas. Mas ao mesmo tempo sinto que tenho grande responsabilidade com todos aqui e que tenho que continuar com o 'legado'.
É uma dualidade muito grande que existe. Mas tenho certeza que vou encontrar esse equilíbrio na melhor hora.
E é assim que encontrarei esse equilíbrio: pergunto como vencerei. Jogo para o universo e sei que as melhores respostas virão. 
Só esperar e continuar trabalhando da melhor maneira possível. 
Daqui dou somente o meu melhor e é assim que teremos grandes resultados.

=)

Foco e determinação é o que rege uma empresa. 
Aqui não será diferente.