segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Porque, porque?!

Eu não consigo entender como algumas vezes, no decorrer de etapas da nossas vidas, desanimamos por total. Acontece muito comigo. Tem momentos que eu estou super focada, feliz e cheia de objetivos. Sei onde quero chegar e o que eu busco para minha vida. Tenho tudo muito claro e lúcido na minha mente, contudo sempre há momentos, que vão além de um ou dois dias, que me desanimam ou me faz repensar se estou realmente no caminho correto. Confesso que isso me chateia e entristece muito. Sim! Porque fico me perguntando se estou fazendo o certo e se estou seguindo o melhor caminho para alcançar o tão desejado sucesso e a tão almejada prosperidade (seja ela afetiva, financeira e pessoal). Dúvidas e questionamentos e todas as interrogações possíveis sobre como será o amanhã, baseado sempre nas nossas atitudes e decisões de hoje. 
Dói continuar, mas fere mais ainda parar 
Creio eu que todas essas indagações sejam naturais de seres pensantes como nós, normais e totalmente compreensíveis. Mas infelizmente, mesmo sabendo disso tudo, não deixamos de nos sentir incomodados, eventualmente tristes e indecisos. Infelizmente não existe nada nesta vida que nos faça não passar por determinadas sensações. Acredito que nossas atitudes e decisões, baseadas nos princípios e verdades de cada um de nós, facilitam e encurtam caminhos, e até podem privar-nos de algum tipo de sofrimento futuro., uma vez que sabemos que determinadas idéias, independente para quem quer que seja, não funciona. 
Porém algumas situações são definitivamente inevitáveis, como esses momentos da vida cotidiana e principalmente cosmopolita da qual vivo. É... viver em grandes metrópoles nos trás mais cobranças e até mesmo frustrações. 
O mais importante de toda essa passagem eufórica e descontente é saber analisar exatamente se todas as nossas prioridades iniciais são ainda as mesmas. Se ainda buscamos as mesmas coisas que buscávamos no passado ou se devemos mudar a ordem e a posição de cada meta e objetivo traçado. Somos suscetíveis a mudanças sempre, e devemos aceitar essa mudança, afinal ela pode estar disfarçada de nosso próprio crescimento e evolução. Até mesmo os mais céticos podem mudar de opinião, não é mesmo!? 
E cabe sempre esperar essas turbulências passar para enxergamos as melhores soluções. Mais cedo ou mais tarde tudo se resolve e certamente a luz ressurge. 

Beijos convictos :)