quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Homens e mulheres.....

Eu estou bem longe de ser uma mulher feminista. Mas longe mesmo. Eu acredito que cada um de nós temos um papel no Universo e por cada um sermos tão importante neste mundo é que viemos exatamente da forma que mais iremos fazer a diferença. Não há como mulheres e homens se igualarem integralmente na sociedade, pois as nossas naturezas são distintas e são essas diferenças que nos tornam especiais.
Lógico que eu aproveito e MUITO toda a expansão conquistada pelo feminismo. Não podemos desprezar a queima do sutiã. Sei que mais me beneficiei do que não. Mas sei que tenho alguns pensamentos defasados, meio fora de moda. O que importa é que estou aprendendo. 
A mulher ganhou benefícios conquistando a independência, a autonomia e todo o espaço que hoje ocupa. Mas não podemos negar que perdemos alguns fatores que ainda julgamos essenciais. Queremos trabalhar, mas não queremos dividir as contas. Queremos independência, mas continuamos dependentes do 'amor carnal' para sermos felizes. A submissão ainda é, para algumas, o caminho mais fácil. A avaliação e aprovação da sociedade ainda são os fatores que comandam as ações, e a verdadeira vontade sempre fica para segundo plano. 
Acredito que a minha geração ainda é bem sofredora. Poucos tiveram a sorte de descobrir com rapidez qual é o seu verdadeiro papel no mundo: ser feliz independente ou dependente dos paradigmas. Se te faz feliz, então que assim seja!
Toda mulher adora um cavalheiro
Ainda surge tanta dúvida, muita expectativa e poucas soluções para tudo. Estamos na fase de mutação, de adaptação, para finalmente chegar a maturação e todo o entendimento.
Todo mundo está perdido. Os homens, coitados! Ora eles tem que ser autoritários, ora nem tanto. Ora, devem exalar toda a testosterona que lhes são disponíveis... ora, eles devem ser sensíveis. É realmente complicado querer e exigir tudo e tanto. O homem ainda é machista quando lhe convém, do tipo que aceita que a mulher trabalha e ganhe seu salário, contato que não seja maior que o dele. Já que é para ser machista, sejamos por completo. Porque homens machistas exigem, mas também sabem dar e valorizar. Falo isso analisando todo um contexto do qual a ética existe, pois o poder tem a tendência de apagar a ética para alguns.
Ainda existe uma disputa de poder ou de comando talvez. Mas o que importa no final, não é quem está no comando. O que faz seguir em frente é a compreensão entre as partes, e objetivos em comum. E saber que para cada setor, tem alguém que comanda. Acredito que delegar é umas das melhores funções que existe. O essencial é aprender quais os limites de cada um, inclusive o nosso próprio limite.

Que as diferenças sejam abençoadas :)