sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Leve a vida leve

"A vida pode ser trágica às vezes, e eu tive a minha parte. Mas após tudo que acontece com você, você tem que manter a atitude um pouco cômica. Na análise final, você não pode esquecer de rir." Katharine Hepburn

E com essa frase aí ficou mais fácil de expressar que realmente rir dos nossos problemas, erros e dramas torna sim tudo mais fácil. Tudo bem que não posso encarar muitas tragédias na minha vida. A vida tem sido bem boazinha comigo. Mas mesmo assim não deixamos de ter aqueles dias de pirações, incertezas e chatices. 
"vida é uma grande festa cheia de surpresas"
O bom-humor torna tudo tão mais leve. Tudo tão mais agradável... E olha que eu acordo num humor bem duvidoso... mas bem duvidoso mesmo.... hehehe Mas eu acho que conforme o dia vai me acolhendo e me abraçando eu só consigo perceber que a vida não poderia ser tão bela. Nada poderia ser diferente. Nada seria tão suave e doce quanto é hoje. 
Sei que as tragédias do passado ajudaram a nos tornar o que somos e quem somos hoje. Mas tenho a certeza que também as alegrias, o amor, respeito e carinho além de todas as escolhas que fazemos e faremos, fazem parte desta lista que envolve nosso ser. Mas, muito mais que o passado, somos mais ainda nosso futuro e principalmente nossos sonhos, como já citou Terry Hostetler: "Eu não sou minhas memórias. Sou meus sonhos."
No fundo, ser nossos sonhos é o que nos move, nos movimenta... e é também o que faz nossos olhos brilharem. Sempre sonhamos com o melhor, com o agradável e portanto sempre vamos rir. Isso se torna um ciclo tão vicioso que pode-se tornar impossível a cura. Eu quero esse vício na minha vida. Rir das dificuldades e desafios e seguir em frente. Mas quero também discernimento para aceitar tudo que recebo para poder evoluir. Rir, nos divertir, e pensar positivo sempre trás facilidade qualquer que seja a situação. E isso por si só já faz tudo se resolver.
Quando estamos leves, temos a sensação de flutuar... E como deve ser bom não sentir-se preso à nada, nem à gravidade!!!!

Que os risos os acompanhe :)
Beijos leves....

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Doce, doce, doce...

Salve a Terra. É o único planeta que tem chocolate
Quem nunca teve vontade de abrir a cabeça de alguém para tentar enfiar lá dentro alguma coisa?! Ou quem nunca ficou horas pensando em como ajudar aquele outro que tem um problemão?! Ou querer falar mil verdades para quem está fazendo um montão de besteiras?! Quem nunca se revoltou com todos os problemas do mundo e quis fazer N coisas?! QUEM NUNCA?! Bom, eu sou muito assim. 
E não me conformo com várias cenas que vejo no mundo... e ainda tenho que fazer cara de paisagem e fingir que não vejo muitas coisas. Isso é uma das coisas mais complexas que eu posso fazer. Sempre a SuperSincera quer pular de dentro de mim. Controla-lá pode ser bem desafiador.
Coisas simples como aceitar e ser tolerante às desavenças da vida já me faz sentir mudando o mundo ou fazer dele um pouquinho melhor.
Afinal, se pensarmos que somos como as Ações a menor parte de uma empresa (é porque trabalho com isso... então a relação vem a calhar), mas que temos um potencial grande de valorização se trabalharmos para isso, e todas as ações juntas formam 100% do capital total e exatamente por isso, cada um de nós podemos sim fazer a diferença. Lógico que não estou aqui para dizer que todos devemos ser iguais, ou ainda que tenhamos que ter pensamentos bem próximos. Isso seria entediante demais. Nossa!! Muito entendiante. Não tem a ver comigo, nem com as idéias que tenho. Adoro discutir, gosto de novas idéias e saber que eu penso e tenho opinião. Uma só minha que eu mesma formei. Acredito que seja uma das poucas coisas nesta vida que pode ser somente nossa e de mais ninguém.
O mundo ideal seria todos juntos em prol do comum. A favor do coletivo. Não sempre, nem muito menos em todos os momentos. Mesmo porque desta forma não sobraria objetivos e metas para traçar e assim alcançarmos. Mas como sempre, encontrarmos o equilíbrio entre nós e o restante. Tolerância, paciência e auto-análise acredito que sejam fundamentais essa busca.
Eu ainda aposto na troca de idéias, experiências e vivência. Isso para mim me faz muito bem, e me faz perceber o quanto podemos aprender um com o outro. Me traz maturidade e me faz mais compreensiva. E esse câmbio de sentimentos e ideais acontece independente do tipo e do grau de relação que temos com cada ser-humano, sem importar a idade, o sexo, as preferências e afins. A simples troca, simplesmente amar e cuidar já faz toda a diferença. E é assim que o mundo vem mudando e crescendo. E que essa força seja sempre maior que qualquer sentimento de posse e intolerância.

Por nosso mundo com chocolate!!! :) 

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Sim sim sim!

E a vida ora se complica, ora se acalma.
Inevitavelmente vamos vivendo o acaso e seguindo o fluxo. Dançamos conforme a música da vida... E sem percebermos já estamos no meio da piXta. 
A gente se planeja... e deseja... e vislumbra... Então quando percebemos o rio faz a curva e nos deixa no meio daquele caminho totalmente oposto do que esperávamos seguir. Bom, dai tudo parece estar perdido, inicialmente (mas só parece mesmo).
A bagunça parece que é maior que a do meu quarto pela manhã - e olha que não é pouca, viu! Mas ainda assim, no meio de todo esse desnorteio acreditamos em algo auspicioso. Podemos acreditar também que já passamos por poucas e boas. E também somos assertivos em dizer que determinadas situações não nos pega mais porque sabemos como evitá-las. Mas é tudo mentira. Uma grande mentira. Não podemos evitar situações. Não podemos acreditar que só porque fazemos terapia estamos pronto para passar tranquilamente por cima de momentos indesejáveis. Não temos como evitar algumas fadigas ou inseguranças da vida. Nem muito menos podemos eliminá-las. Certas coisas temos que viver diversas vezes. Talvez seja um carma, ou talvez ainda não conseguimos aprender de verdade a mensagem por de trás das coisas. Ainda no talvez, nossas ações encadeiam essas reações. Vai saber!?
"Eu não consigo entender pessoas e como elas podem
acordar uma manhã e decidirem que alguém não é
mais importante." 
Eu estou na fase de aceitações. Aceitando que as coisas são como são. Ou tentando aceitar. Ou procurando entender, quem sabe. Para mim, tudo isso é bem difícil. Afinal, nossas vontades sempre são melhores. Nossos gostos os mais belos. E eu quero o que eu quero, não é mesmo?! Mas tenho sorte que esse privilégio não é só meu. O que é só meu são as minhas decisões de aceitar as coisas ou não. Por isso estou neste processo difícil.
Acho que a dificuldade é porque é mimo meu ou ego. Sim! Puro ego! É bem complicado.  E o que seria da vida sem suas complicações?! Ou então como EU seria sem todas essas complicações?! Acho que mais chata. E mais mimada. E mais egoísta... Ou não seria simplesmente essa pessoa aqui... 

Que as boas decisões os acompanhem :)