sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Da saga: Em tratamento.......

"eu não sou perfeito.
sou original."
É! Eu ainda não desisti da minha terapia, acreditam?! rs
Confesso que teve semanas que não tive muita vontade e é impressionante como o terapeuta já percebe isso. Pelo menos o meu! 
Bem no dia que eu estava com bem pouca vontade de ir, o doutor me perguntou o que eu estava achando e como me sentia em relação à terapia. Bom, eu que não sou nada direta, dei uma rodeada pra dizer a ele que nem sempre tenho o que falar, que as vezes parece que vou lá à toa, talvez! Mas que sei que ainda preciso fazer, que será bom para mim... meio que estava num impasse...
Bom, dai ele sabendo que a vida é assim de altos e baixos mas que não podemos desistir logo no inicio me disse que temos coisas que precisamos ainda melhorar... que claro que não é legal nem para mim nem para ele que eu faça algo achando que não tem sentindo algum... nós dois estaríamos perdendo tempo. Que era para eu ver realmente o que era melhor para mim. 
Decidi continuar. Pensei: Ah! Dias e dias... nem sempre estamos dispostos a fazer as coisas. Vou tentar mais. E agora lá vou eu, feliz na certeza que estou no caminho certo! 
Sei que estou no caminho certo porque a terapia está ajudando no meu auto-conhecimento. Eu sempre achei que me conhecia muito bem, mas agora percebo que tem certas coisas sobre mim que talvez eu não assumia ou não via da forma que vejo hoje. Algumas coisas que não gosto em mim, hoje sei que não são tão ruins assim como eu acreditava. Apenas sou eu com o meu jeito de ser e isso não significa que sou melhor ou pior. 
Mesmo não sendo a Gabi "Eu nasci assim, eu cresci assim/ Eu sou mesmo assim/ Vou ser sempre assim...", também tenho o meu próprio eu e ponto!
E lhes digo: é incrível sabermos quem somos e quais são realmente nossas falhas, limitações e principalmente nossas qualidades e nossos valores. Juntando tudo, a gente até mesmo consegue identificar melhor as pessoas com as quais convivemos e aí está o grande segredo: como lidar melhor com os nossos. Conhecendo a nós e o nosso entorno, a administração fica simples e a vida vai ficando aos poucos mais leve. 
Até o momento não tenho nada que desabone a terapia. 
Mas contudo, percebo que nunca devemos desistir no primeiro sinal de fraqueza ou então na primeira dificuldade. As vezes inventamos desculpas, achamos que tudo pode ser um sinal para a desistência. Mas a vida não funciona dessa forma. Não da forma mais simples. Temos que perseverar, encontrar forças para não fugirmos dos nossos objetivos e principalmente não abandonar nossos valores e ideais.
A tentativa sempre é muito válida, para tudo na vida. :)


sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Tome decisões. Lambuze-se de atitudes.

Quem lê o título deste humilde post chega até a acreditar que eu sou 'autoridade máxima' no assunto, como já dizia os comerciais da Tigre. 
Bom,  não sou! E como meu amado namorado sempre me fala: "Só você sabe a alegria e a dor de ser como é!.'
É minha gente... ainda ouço essa! hahahaha
Confesso que é bem dolorido, não ouvir isso dele, mas ser indecisa e pouco ousada. 
Neruda (ta aí uma pessoa que gostaria de ter conhecido) diz que somos prisoneiros das consequências de nossas escolhas. Pablito tem uma parcela de razão nisso. Digo parcela pois existem casos e casos e até mesmo o acasos. 
Acredito que, se Deus nos deu a liberdade de fazermos nossas escolhas, Ele também nos dá condições de corrigi-las (quando há como). Falo isso pois muitas vezes vivemos situações que acreditamos estarmos presas a elas. Vivemos uma vida (tá bom, vai... parcela dela) acreditando que não existe saída, que escolhemos e agora temos que aguentar as consequências.
Mas porque sermos tão auto-punitivos? Porque isso, minha gente?! 
A partir do instante que tivemos atitude para tal escolha, temos que adquirir também atitude de mudá-la se preciso for. 
Para mim, é necessário pensar muito, avaliar muito - quando digo muito, é MUITO mesmo - antes de definir qualquer coisa. Por isso falo que me falta ousadia.
Essa minha característica tão singular realmente me beneficiou por diversas vezes, outras já nem tanto. É complicado sabermos o ideal. 
É claro que não devemos nos basear por histórias que ouvimos por aí, pois tendenciamos a nos poupar e a nos conformar... e ainda seguimos pelo que fará nos sentir melhor naquele momento. Procuro olhar os erros do passado para não repeti-los.
Cada situação exige um tipo de postura da gente. Acredito que o imprescindível seja não fraquejar e é indiscutível manter a fé até que sejamos iluminados por qualquer tipo de ação para combatermos o mal que nos abate.

Qualquer atitude é melhor que a passividade da espera.
'Atitude-se!'


quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Eu sei o que estou fazendo!

Ontem eu li um texto no Instagram muito legal. Mas muito legal mesmo que fala sobre crítica. De como não devemos ver isso como um problema e sim como podemos torná-la a solução das nossas chateações. 
É... meu povo, o Instagram não é somente sobre comidas, viagens e o quanto somos felizes... também nos dá um pouco de sabedoria!
Mas voltando... o texto me fez refletir muito sobre como absorvemos cada crítica que recebemos, mas sempre com aquela máxima de que quanto mais criticado somos, mais sucesso estamos exalando. Então que seja algo que não devemos evitar.
Eu particularmente, na  minha honestidade máxima neste espaço confesso não gostar muito de ser criticada, mesmo que seja aquela hipocrisia da crítica construtiva. hahahaha 
Sinceramente lhes digo que quando ouço 'quero fazer uma crítica construtiva', na minha cabecinha só vem aqueles montes de palavras chulas que sofrem censura na mídia. 
Tá! Sei que é errado e hoje eu ouço mais e absorvo melhor. Procuro enxergar somente o lado positivo e acreditar que realmente é para o meu bem. Isso lógico daqueles mais chegados, sabe aqueles que não nos restam dúvidas de que nos amam.
A crítica vem naturalmente, a partir do momento que estamos fazendo algo. E se fazemos sucesso então, as críticas só tendem a crescer, pois estaremos chamando muito mais atenção, portanto a partir daí temos que enxergar as críticas como um sinal de sucesso e não tirar o pé. Seguir em frente. Não podemos parar!
Somos julgados o tempo todo por todas nossas atitudes. Esta aí a razão daqueles que odeiam ser centro das atenções. Geralmente são os que não gostam desse tipo de julgamento. 
Na minha situação em especial, digo-lhes que sou estranha. Mari a estranha. Não gosto de receber críticas portanto espera-se que eu não procure ser o centro das atenções principalmente em ambientes estranhos. Mããsss, por mais que tento não sou uma pessoa tão discreta assim. Contraditório, não?! Mas essa sou eu. Não posso fugir. Certa e naturalmente recebo essas críticas o que não é legal pra mim.
O certo é que discrição e holofotes não te eximam de críticas, sejam elas positivas, construtivas ou destrutivas mesmo. Sim, as destrutivas existem. Uma pena!  Elas, as críticas, irão chegar até você querendo ou não, gostando ou não, aceitando ou não. O ideal mesmo é saber lidar com isso. É saber recebê-las da melhor forma possível. E mais especial ainda é absorver as críticas sem nos perdermos na nossa personalidade. 
Não deixar que críticas negativas abalem nossa confiança e a nossa essência, assim como não permitir que o ego domine tudo quando vierem os elogios mais surpreendentes e animadores. 

Sendo assim, que venham as críticas. Elas podem ser o termômetro para saberemos que estamos no caminho correto.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Em tratamento.........

Alguns dias atrás decidi que seria de primordial importância na minha vida começar a fazer terapia.
É! Pode parecer que estou biruta, ou depressiva, ou quem sabe estou me sentindo perdida...
Mas na verdade não são nenhum desses fatores que me fizeram procurar ajuda de um profissional. 
Apenas acredito que tenho algumas deficiências emocionais (vulgarmente conhecido como defeitos) que além de me atrapalharem em alguns setores da minha vida, faz com que eu não evolua como ser humano. O que eu considero ser bem chato não evoluir. Mas tenho certeza que sou bem resolvida na maior parte do contexto desta jornada. 

Ontem ouvi algo que me deixou realmente bem aliviada e de certo modo mais calma. 
Ouvi que se ainda não estou pronta para tomar decisões/atitudes, que o melhor é  não fazê-las ainda. 
Estar pronto é sem dúvidas, fazer o certo! 
Ouvir isso fez com que exigisse menos de mim mesma e isso é como tirar um grande peso das costas e levar a paz à mente e ao coração. 

Algo também que aprendi e me fez pensar é que quando estamos realmente desgostosos em algum setor da nossa vida, todos os outros também ficam sem-graça e encontrar o equilíbrio da vida é exatamente esse: problemas sempre teremos em algum momento ou situação, mas como não deixar com que isso contamine e influencie o restante. 

Cada um de nós temos um jeito de resolver nossos problemas e cada um de nós devemos fazer o certo baseado em nossas crenças e principalmente valores. Saber identificá-los e defini-los acima de tudo nos garantirá toda a paz, harmonia e alegria que incansavelmente buscamos.

Posso afirmar que hoje me sinto animada e confiante. E isso faz toda a diferença!


Acredite que você pode e você já estará na metade do caminho


domingo, 19 de maio de 2013

Eu meXma!

Sabem aquela máxima que diz algo como: você não sabe a força que tem até precisar dela? Ou algo parecido...
Bom, eu achava mesmo que me conhecia bem, mas bem mesmo,  que sabia todos os meus limites e até onde posso chegar. #sóquenão [eu odeio essa hashtag!! hahaha]
Cada dia que passa, eu percebo que quebrei todos os meus paradigmas, todas as minhas barreiras e tudo que eu achava que podia e não podia.
O problema disso tudo é perceber que não é porque eu quebrei todos os paradigmas e barreiras, e que tenho aceitado várias coisas na minha vida as quais um dia, lá atrás achei que nunca jamais deixaria isso acontecer comigo, que por isso hoje sou uma pessoa melhor, evoluída e crescida! Nããão!!! Eu apenas tenho percebido mais falhas minhas. Muito mais. E não! Não estou aqui me fazendo de coitada. É apenas a realidade que estou relatando. 
Algumas vezes as coisas saem do nosso controle, algumas vezes simplesmente não temos o controle das situações, algumas vezes temos que deixar que outra pessoa controle.
A vida as vezes nos coloca em situações, nos mostra coisas, nos faz caminhar de um modo, que tudo que eu acreditava, tudo que eu achava que era e não era capaz, acabam se misturando.
Realmente é uma confusão de sentimentos, confusão de pensamentos e confusão e mais confusão que apenas me faz ter certeza de uma coisa: o julgamento alheio não é para nós míseros mortais. 
Sim! Sou uma pessoa cheia de julgamentos - odeio isso. Mas descobri que não julgo apenas pessoas, ou situações. Eu julgo tudo! Qualquer coisa que compro, qualquer ambiente que estou, qualquer comida que experimento eu faço um julgamento completo. Mas juro também que tento ser o mais justa possível com tudo! Desde o sapato que calço até as pessoas que escolho para me relacionar.  Procuro compreender de verdade tudo. Por mais complicado que possa parecer ou por mais desdém que eu possa fazer parecer (às vezes pareço nem ligar, mas é só charme mesmo!). Mas todo esse julgamento geralmente eu guardo para mim, rara as pessoas mais próximas que tenho confiança para compartilhar. 
O mais importante hoje é fazer o exercício interno de praticar o não julgamento. É abdicar de um pedacinho de mim mesma para poder crescer. Acho que é isso que nos faz evoluir, não?!
Espero que seja! Estou na torcida (fanática) para tal. 



sexta-feira, 3 de maio de 2013

Graça da desgraça

Tenho uma amiga, mui amiga mesmo e como tal, conversamos sobre tudo e principalmente fazemos aquela terapia...
Contamos nossos 'causos' e as adversidades da vida. Mas quando vamos falar dos 'pobremas' que a vida nos trás, a gente sempre faz uma piadinha em torno da nossa própria desgraça. Sempre a gente arruma um jeitinho só nosso de rir e achar graça do nosso próprio sofrimento. Muitas vezes entre lágrimas (digo pelas minhas, que são muitas pois sempre choro), sai uma risada espontânea! Como fazemos isso no meio de tanta depressão!? Eu honestamente não sei. Simplesmente sai... igual bêbadas que riem e choram ao mesmo tempo. 
As vezes penso que isso é reflexo do mais puro descontrole emocional. As vezes coloco a culpa nos hormônios ou em qualquer coisa, afinal a culpa a gente coloca em quem a gente quer, não é mesmo?!
"A felicidade só é real quando compartilhada." 
A gente fala da briga com o namorado, e em prantos, a gente faz uma piada com isso. Se o problema é na balança, no meu caso porque os números sobem e no caso dela porque os números diminuem a gente ajeita uma piadinha com o nosso corpitcho. Se é o trabalho ou a família que volta-e-meia sismam de nos perturbar, pronto! Já está feito, entre reclamações e desabafos, um deboche de algo.
Somos meio debochadas e por tantas vezes irônicas também, mas quem nunca??? Bom respondendo, quem nunca, então não entende o que eu aqui relato.
É, a nossa vida é assim. E digo que para a gente, alivia e alivia muito a dor do momento. A gente ri e se diverte, muda de assunto e volta aos problemas. Os problemas ficam leve, a vida fica mais divertida e tudo que para gente muitas vezes pode parecer um bicho de sete cabeças, para o outro é só uma coisinha...
Realmente, tudo acaba se resolvendo lindamente! hehehehe
Fora que a risada causa diversas melhorias no nosso organismo. O abdômen contrai tanto que são como exercícios físicos, o rosto também ganha tonificação devido aos movimentos, não permitindo a flacidez bater no nosso rostinho, células felizes funcionam melhor... e assim vai! :) 


Que a risada sempre nos acompanhe!

quarta-feira, 17 de abril de 2013

O que você já aprendeu?

Podem me chamar de rancorosa porque muitas vezes (se não todas) eu fico remoendo todos os acontecimentos da minha vidinha.
Penso, penso, penso!
Penso principalmente naquelas ocorrências que não foram felizes. Os fatos felizes a gente aceita e agradece,  esperando mais. Mas quando surge aquela frustração pois nada aconteceu como o planejado (e olha que tudo é sempre muito bem calculado) o remorso é grandioso. 
Felizmente a vida não depende somente de nós, e esses cálculos dão errados porque nós lidamos com pessoas e não objetos. E felizmente as ações e reações das pessoas são distintas umas das outras. 
Repito felizmente porque isso nos concede o prazer de novas experiências. 
Sim, ficar remoendo os desprazeres da vida nos deixa angustiados, mau-humorados e chateados. O ideal é aceitar tudo isso de coração aberto e seguir em frente.
Mas para haver essa aceitação, na minha humilde (residência hehe) opinião, temos que passar por esse processo de rancor e remorso para que nossa pupila se dilate e nos mostre tudo com mais amplitude. (Nem precisa de entorpecentes! Gosto assim.).
Temos que transformar essas experiências desgostosas em aprendizado. Aprender sempre. Vivendo e aprendendo... Eis o grande prazer da vida, no final.
Dicas ótimas!! hihihihi
Como não vivemos sozinhos porque a vida não foi feita para vivermos sozinhos, acho super válido qualquer tipo de experiência. Até mesmo as mais doloridas, que achamos que vamos chegar ao fim... Dessas, geralmente aprendemos muito mais que podemos mensurar. 
A vida não foi feita para a solidão. Não nascemos sozinhos não! A minha mãe estava lá! Tenho certeza!! A vida foi feita para abraços e beijos. Companhias e olhares... Conversas, risadas e chamego. E para conquistarmos tudo isso, em qualquer relacionamento, seja numa amizade, com algum familiar, até mesmo profissional ou com aquele tão especial temos que conviver constantemente com esses conflitos de aceitação e aprendizado da vida. 

Aceite-se, aceite a vida e as voltas que ela dá! Se não está legal, aceite mas não se acomode! Aceitar não é acomodar-se :) 

terça-feira, 16 de abril de 2013

Coloque prazos

"Nós aprendermos a viver com a dor"   humpf...
Tudo que não está bom na nossa vida precisa acabar, precisa de final e ponto final. Mas o maior problema na vida da gente é que também nos acostumamos com que está mal. Infelizmente isso acontece e porque?! 
Porque o desapego é péssimo. Desapegar do trabalho, do namoro, dos amigos e da rotina, da roupa velha, das correspondências, daquele brigadeiro divino que tem na padaria que eu tomo café e não dá para resistir, da comidinha de casa (lembra como foi dura começar a trabalhar?!). E por mais que  odiamos certas situações é sempre desesperador desapegar. Porém, creio eu que mais desesperador ainda é viver triste com alguma situação, portanto sou super a favor de prazos. 
Mas prazo é um saco!
Quando percebemos que o prazo de validade de uma comida está nas últimas, tentamos fazer algo com aquilo, mesmo sem vontade, para que não haja desperdício. Então tem o prazo final (ou deadline para os    "Yes, I speak Enghish!") de algum projeto de trabalho/escola que sempre faz com que corremos para terminar porque sempre tem aquele imprevisto que não contamos e acaba atrasando... 
Dai tem prazo de troca de mercadoria, prazo de entrega daquela compra do pônei feita pela internet que nos deixa mega ansiosos... Prazos prazos e prazos... É o que tem para nossa vida!
Prazo é compromisso. Compromisso com algo ou alguém. É obrigação, é dever fazer e dever cumprir e respeitar. Quando esses prazos vem de fora, como expus acima, aqueles que são mais responsáveis e preocupados com o próximo, cumprem com louvor e a qualquer custo. 
Quando existem esses compromissos internos, conosco mesmo, sempre tem um amanhã eu faço ou na segunda eu (re)começo. 
Exatamente por isso eu digo que temos que nos colocar prazos. Porque tudo que está ruim precisa acabar e para acabar, precisamos ter a percepção do que está acontecendo. Aquela sombra não pode ficar ali por munto tempo, mesmo porque se existe a sombra é porque tem Luz.
Só observando o lado difícil das coisas é que poderemos resolver qualquer coisa. Aquela ideia do que está ruim pode piorar é realmente muito verdadeira pois o limite e os prazos também chegam, dando espaço para o tão esperado fim. Por isso estou tão convencida que prazos são válidos.
Não deixe pequenas coisas estúpidas brecar sua felicidade
Estipule prazos para que consiga ter consciência do bom e do mau e assim consiga cumprir seus planos sem ansiedade e sem pressa. Todo mundo tem seu próprio tempo. Respeite-o e vá! 
Prazos existem para ser cumpridos e aquela máxima que pipoca no Facebook e no Instagram: "Vai! E se der medo, vai com medo mesmo" é a expressão que mais se encaixa neste contexto. 
Dê-se prazos. Imponha seus próprios limites e nunca, nunca deixe-os expirar, mesmo com medo. Aqueles dois segundos de daquela incontrolável coragem também deve ser aderida neste momento. 


Afinal, o que é nosso ninguém tira.

Que os prazos estejam presentes :) 

quarta-feira, 20 de março de 2013

#Pronto! Não falei!

Hoje eu tô no meu momento desabafo!
Com o passar dos anos, aprendi muito a ser mais pacífica, não discutir tanto e a tolerar muito mais. Eu sempre discuti muito... sempre falei muito. Ainda tenho meus deslises, que já me coloquei em situações bem difíceis das quais me arrependo muito... mas quem nunca?! hihihi
A vida, muitas vezes me mostrou que ficar calada é a melhor saída. Independente do certo ou do errado, das ideologias e do que achamos que temos que defender ou até mesmo nos defender. Ficar calada nem sempre te livra de problemas, mas ao meu perceber ajuda a não criar mais. 
Aquela frase épica que vemos em cinema e que se aplica na justiça americana "Você tem o direito de ficar calado, qualquer coisa que disser poderá ser usado contra você" é o resumo disso tudo para mim.
Mas diferentemente da justiça, onde os homens arrecadam provas para fazer julgamentos, na vida real eu apenas sento e observo. Acredito na lei do universo, onde a verdade sempre aparece e o bem prevalece.
Tenho meus momentos de dúvidas. Nem sempre é tão fácil e simples esperar.
Não sou a melhor pessoa do mundo. Estou bem longe de ser 'a boazinha' da história da minha vida. Mas tenho a certeza que meu coração sempre me leva para o caminho do bem e isso é o que importa.
"A vida não é esperar a tempestade passar...
Mas sim aprender a dançar na chuva"
Tentar fazer as pessoas te entenderem mostrando outro lado da moeda ou tentar ajudar já não me importa tanto quanto antes. Ou as pessoas querem e se esforçam para te entender ou você somente gastará suas energias na tentativa. Ou as pessoas querem ajuda porque elas sofrem de alguma forma e não aguentam mais e para essa ajuda acontecer, as pessoas a pedem claramente ou será novamente energia desperdiçada.   
Com o passar do tempo aprendi que nem todo mundo está preparado para ouvir a verdade do outro. A tal da sinceridade. Quando me perguntam, eu falo. Acredito que as pessoas criam um certo bloqueio com a sinceridade alheia quando está passando por um momento difícil e não quer admitir um insucesso. Admitir um erro e superá-lo rápido ajuda a seguir em frente e avançar mais depressa. Mas assumir tais responsabilidades, é que é a grande virtude. Muitas vezes realmente não rola.
Compreendendo isso, hoje eu me calo. Posso parecer até mesmo sem opinião, logo eu que sempre falei demais. Mas hoje em dia me preocupo muito mais com os sentimentos das pessoas e magoá-las num momento de fragilidade parece-me muito clichê. Para tanto, eu prefiro ser original e fazer diferente. Hoje para eu ser a super sincera de antes, quero clara evidências de que posso ser!
Vivendo e aprendendo vou mudando! 

Que as mudanças boas sempre aconteçam :)

terça-feira, 19 de março de 2013

Eu e ele

Eu posso me declarar uma mulher de sorte! 
Pois é exatamente assim que eu me sinto, e nesses últimos meses tenho me sentindo mais ainda... lógico com altos e baixos, mas ainda sim, me sinto mais especial que antes. 
Falo isso porque realmente estou apaixonada e tive a sorte de ter encontrado um namorado todo especial, que é muito mais atenção e carinho comigo do que eu podia imaginar. 
São realmente nos pequenos detalhes nele que me surpreende. 
Mas pelo fato dele ser um verdadeiro príncipe, não o faz um homem perfeito. Afinal ele é homem, graças a Deus! 
Tudo por nós... sempre!
Não é só porque eu recebo diversas declarações e ele não tem vergonha, medo ou qualquer tipo de problema em dizer e/ou demonstrar o quanto gosta de mim, que nossas diferenças são minimizadas. Existem cobranças da minha parte e da parte dele. Conseguimos compreender que essas cobranças chatas e reclamonas fazem parte e nos serve para nosso próprio aprendizado e evolução.
É fácil nos julgar através de mega pixels, rede sociais e afins. Quem quer mostrar ou mesmo ver fraqueza e chateações? O amor e o carinho é muito mais gostoso de ser apreciado e muito mais alegre quando vivenciado.
Somos perfeitos para quem nos vê através de mega pixels. Somos perfeitos para os nossos corações que caminham juntos. Mas não somos iludidos exatamente porque entendemos que são todas essas diferenças que no faz especial.
Nossa intimidade tem seus momentos de tensões, mas garanto-lhes que se faz muito mais de momentos de amizade, alegria e carinho. E é isso que realmente importa, afinal somos mais que namorados. Somos amigos, companheiros e amantes.
E não é porque somente demonstramos afeto que sejamos o casal forte e inquebrável. Então, aí vai um segredo: temos nossas fraquezas. Sabemos que ainda temos muito caminho a percorrer juntos. E buscamos força exatamente em nossos momentos mais mágicos e felizes, porque sabemos que vale a pena!

Que nós façamos valer a pena, porque vale! :)

quinta-feira, 14 de março de 2013

Habemus Papam

Entendo algumas pessoas serem contra a Igreja Católica.
A Igreja sempre teve muito poder e através de seus dogmas, sempre influenciou e por muitos comandou a vida das pessoas. Todo mundo quer ter o direito de comandar sua própria vida, não é mesmo?! Mas lá atrás isso era bem mais difícil, e essa mentalidade perdurou por muito tempo... Não que isso ainda não exista. Exite e existe em todas as religiões.
Bom e além disso, a Igreja Católica também errou muito, como ainda erra e não é pouco.
Lógico que quando estamos falando de religião, a tolerância a erros e maldades são extremamente menores.
Aqueles que pregam tanto o bem, aqueles que deveriam nos direcionar para a paz espiritual, para o caminho do bem, terem atitudes tão maldosas e impróprias é totalmente controverso e realmente inaceitável.
Mas como em qualquer clã, como em qualquer comunidade, existem pessoas de bem e também as más intencionadas. Infelizmente não podemos nos livrar disso. Infelizmente temos que conviver com isso ainda. Mas creio eu que felizmente podemos mudar isso.
Após tanta evolução que a humanidade sofreu, ainda existem ações e atitudes tão primatas.
Contudo, na minha pura inocência, creio eu, que por mais dogmas que existam, por mais poder que haja, por toda a maldade que exista, nada disso ainda é maior que o bem que a Igreja causa na vida dos seus fiéis.
Eu sou católica, hoje muito mais praticante que antes. Fui batizada, comunguei e crismei. Procuro aos fins de semana frequentar a missa e todos os dias de manhã agradeço e faço minhas orações. Hoje tenho a certeza de quanto Deus já me abençoou nesta vida.
Acredito muito que TODOS deveriam seguir uma religião. Qualquer uma. Aquelas que os façam sentir-se bem. Aquelas que os façam ver o mundo com os olhos do bem. Afinal, todas as religiões, tem sobretudo, mais bem a fazer do que mal.
A Igreja Católica certamente será muito mais atacada, afinal a maioria da população mundial é católica. Quanto mais pessoas, mais erros humanos são cometidos, mas acredito que mais aprendizado temos também.
Creio eu hoje no Santo Padre - Papa Francisco, que enfrentará muitas crises, atravessará por muitas batalhas, mas creio ainda mais que ele poderá abrir novos caminhos e guiar a Igreja para uma melhora significativa. Para o Papa Francisco resolver todos os problemas realmente é difícil. Serão necessário muitos anos e muita fé. Mas creio que ele poderá dar o primeiro passo!

Que a fé sempre esteja com todos nós! 

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

A vida tem dessas coisas

A vida quando quer algo, é bem explicita e bem determinada. Não adianta contradizer, ou tentar fazer diferente. Não adianta adiar, caminhar de outras formas, tentar enganá-la, persuadi-la ou coisa parecida.
Até mesmo nos momentos mais estranhos e delicados, a vida quando quer, quer! As vezes a vida faz com que as coisas aconteçam repetidas vezes para que possamos aprender ou ver tudo sob outra perspectiva.
É! Comigo tem coisas parecidas acontecendo...pela terceira vez! Lógico que nunca nada é exatamente igual. Sempre há razões distintas. Para mim a diferença é que das outras vezes eu sabia que uma hora aconteceria, mas dessa vez, fui surpreendida.
Bom, mas se acontece coisas assim é porque, acredito eu, que sejam coisas da vida. A vida querendo nos ensinar, nos mostrar... sei-lá! Algo assim. Temos que acreditar em algo, não é mesmo?!
Agora cabe a mim, somente a mim perceber mais a fundo tudo isso. Afinal, refletir e analisar nossa própria vida é bom de tempos em tempos.
A dor existe e com ela vem sensações péssimas... mas lembranças ficam. Aceitar é difícil, é complicado... mas na melhor hora acontece.
Amadurecer idéias, mudar atitudes. Preparar-se melhor... talvez estejam aí as mensagens que a vida sempre insiste em nos dar.
Reza a lenda que no final, sempre a vida nos dá o melhor! Vamos aguardar.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Até quando

Hoje é a minha vez de expressar minha indignação com o incidente que houve em Santa Maria/ RS.
Foi sim uma fatalidade, infelizmente. Mas foi uma fatalidade somada com negligência e descaso. 
Quando nós saímos de casa para nos divertir, seja qualquer tipo de diversão, não cabe a nós nos preocuparmos com esse tipo de segurança. Quando entramos em um local, como essa boate, acreditamos que no valor da entrada já esteja incluso o fator segurança, além do fator diversão. 
E mais, pagamos nossos impostos (que não são poucos) para que ocorram as devidas inspeções por parte do governo ou quem quer que seja o responsável sobre isso. Não estamos pedindo favor a ninguém aqui. Deveria ser a obrigação do Brasil nos dar segurança, assim como é nosso dever pagar nossos impostos. E pagamos a todo instante, não somente nas DARFs. 
Se o alvará de funcionamento da boate estava vencido, porque ainda funcionava? 
Não posso acreditar que esses departamentos / órgãos públicos que batem em todos os tipos de comércios querem mesmo só tirar dinheiro para puro benefício particular de cada um.
E o pior de tudo é que os comerciantes que reclamam tanto de corrupção, de impostos altíssimos pagos, são coniventes com tudo isso, pois eles pagam a propina, afinal assim é mais fácil de corrigir o erro, ou seja: "você finge que me conta a verdade e eu finjo que acredito". 
O pior de tudo isso agora, é que uma fatalidade como essa, que deveria servir de lição - assim como outras que já ocorreram - somente gerará mais brechas para corrupção. Serão mais leis e mais normas e taxas que vão para os cofres públicos sem nunca serem usados em benefícios dos cidadãos. 
Não dá para simplesmente acreditar que isso foi uma fatalidade, como se fosse um raio que atingisse uma árvore e pronto. Não foi simplesmente isso. 
Nosso poder democrático deve ir MUITO além das eleições presidenciais realizada a cada 04 anos em nosso país. Acredito que ainda não sabemos o valor e a grandeza que uma democracia de verdade. 
Houve uma série de erros e uma série de descaso na boate em Santa Maria. O erro não se limitou apenas em quem lançou o sinalizador ou naquele que permitiu que o fizesse. 
Muitas vidas foram perdidas. Muitos sonhos interrompidos. Criações e criadores, o futuro do nosso Brasil também foi asfixiado ali, bem em Santa Maria.
Hoje não estou de luto pelas mais de 230 mortes em Santa Maria. Estou de luto pelo Brasil que não consegue corrigir os erros do passado. 
"Ainda somos os mesmos
 E vivemos 
Como nossos pais"

Até quando nosso país vai viver assim? 
Estou desiludida. 

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Lembrando e relembrando

Um lugar é tão bom quanto as pessoas que estão nele.
Eu sou do tipo de pessoa que não fica relembrando o passado. Não sou nada nostálgica. Acabo esquecendo tudo que passou... tanto as coisas ruins como as coisas boas. Quando esquecemos as coisas ruins, é ótimo porque uma má lembrança nunca nos faz bem. Mas esquecer as coisas boas é péssimo porque deixamos uma ótima lembrança no canto, e esquecemos também da magia do momento. E lembrar isso, ter um pouquinho desses sentimentos de volta só nos alimenta de amor e otimismo. É tão bom. Tão compensador e prazeroso. 
Hoje eu me peguei vendo coisas do passado. Cavei e cavoquei até que encontrei muita coisa que estava guardadinha. Tive ótimos momentos lá atrás que só me faz acreditar que hoje caminho pelo o que acho certo e caminho para o que eu acredito que me faz bem. Muito melhor que lembranças são as boas lembranças.
Me permito e agora mais que nunca ter sempre boas lembranças de momentos incríveis.
Mais do que isso! Quero relembrar e refazer meus acertos. E isso pode ser em uma conversa, numa refeição ou uma simples caminhada... até a padaria mesmo. Aquele acerto no trabalho ou uma atenção especial a alguém. Momentos de liberdade e paz.
Acredito que se observarmos muito mais os nossos acertos e momentos felizes, podemos nos observar melhor.
Hoje li que, na busca do autêntico crescimento é preciso encarar sim os erros mas também devemos ver claramente os acertos para então sustentarmos essa evolução. Compreender nossos acertos, investir tempo refletindo nos aspectos positivos, gerará mais acertos. Isso facilitará a distinção dos aspectos negativos que realmente importam.
Desejo sonhar acordada com minhas memórias mais doces. 2013 será muito mais gostoso.



sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Ponto final.

2013 chegou e como todo início de ano, fazemos promessas e simpatias. Esperamos mudanças e renovações.
Esse ano eu estou fugindo desses clichês. Para 2013 eu tomei algumas decisões. E a partir de agora é só fazer acontecer.
Melhor que esperanças, boas vibrações e promessas, tomar decisões é mais incisivo. Quando queremos algo de verdade na vida, temos que agir, temos que decidir para qual caminho queremos seguir. E a partir daí temos que acreditar na escolha. Acreditar sempre que a decisão foi a correta e daí é só se preparar para receber o melhor. Pois é assim que será!
Decidi que 2013 será o ano de realizações. Vou realizar tudo que me foi designado a fazer e tudo que eu propor e isso inclui todas as partes da vida: pessoal, profissional e espiritual.
Confesso que me dá um friozinho na barriga de pensar sobre. É muita responsabilidade. É muito foco. Mas também sei de que sou capaz. Sei que posso tratar tudo com mais seriedade. Mas principalmente sei que estou decidida. Decidi que tudo que eu quero dará certo. E se caso o que eu quiser não acontecer, é porque simplesmente não era o certo para mim. Então, de uma forma ou de outra, certo será.
E os decididos também entram em duelos internos (como todos), mas quando resolvem, não existe justificativa. Apenas seguem o caminho que escolheu e pronto. Seguram a onda, pisam firme e seguem em frente. Vida que segue.

Decida-se e fim.
:-)