segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Até quando

Hoje é a minha vez de expressar minha indignação com o incidente que houve em Santa Maria/ RS.
Foi sim uma fatalidade, infelizmente. Mas foi uma fatalidade somada com negligência e descaso. 
Quando nós saímos de casa para nos divertir, seja qualquer tipo de diversão, não cabe a nós nos preocuparmos com esse tipo de segurança. Quando entramos em um local, como essa boate, acreditamos que no valor da entrada já esteja incluso o fator segurança, além do fator diversão. 
E mais, pagamos nossos impostos (que não são poucos) para que ocorram as devidas inspeções por parte do governo ou quem quer que seja o responsável sobre isso. Não estamos pedindo favor a ninguém aqui. Deveria ser a obrigação do Brasil nos dar segurança, assim como é nosso dever pagar nossos impostos. E pagamos a todo instante, não somente nas DARFs. 
Se o alvará de funcionamento da boate estava vencido, porque ainda funcionava? 
Não posso acreditar que esses departamentos / órgãos públicos que batem em todos os tipos de comércios querem mesmo só tirar dinheiro para puro benefício particular de cada um.
E o pior de tudo é que os comerciantes que reclamam tanto de corrupção, de impostos altíssimos pagos, são coniventes com tudo isso, pois eles pagam a propina, afinal assim é mais fácil de corrigir o erro, ou seja: "você finge que me conta a verdade e eu finjo que acredito". 
O pior de tudo isso agora, é que uma fatalidade como essa, que deveria servir de lição - assim como outras que já ocorreram - somente gerará mais brechas para corrupção. Serão mais leis e mais normas e taxas que vão para os cofres públicos sem nunca serem usados em benefícios dos cidadãos. 
Não dá para simplesmente acreditar que isso foi uma fatalidade, como se fosse um raio que atingisse uma árvore e pronto. Não foi simplesmente isso. 
Nosso poder democrático deve ir MUITO além das eleições presidenciais realizada a cada 04 anos em nosso país. Acredito que ainda não sabemos o valor e a grandeza que uma democracia de verdade. 
Houve uma série de erros e uma série de descaso na boate em Santa Maria. O erro não se limitou apenas em quem lançou o sinalizador ou naquele que permitiu que o fizesse. 
Muitas vidas foram perdidas. Muitos sonhos interrompidos. Criações e criadores, o futuro do nosso Brasil também foi asfixiado ali, bem em Santa Maria.
Hoje não estou de luto pelas mais de 230 mortes em Santa Maria. Estou de luto pelo Brasil que não consegue corrigir os erros do passado. 
"Ainda somos os mesmos
 E vivemos 
Como nossos pais"

Até quando nosso país vai viver assim? 
Estou desiludida. 

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Lembrando e relembrando

Um lugar é tão bom quanto as pessoas que estão nele.
Eu sou do tipo de pessoa que não fica relembrando o passado. Não sou nada nostálgica. Acabo esquecendo tudo que passou... tanto as coisas ruins como as coisas boas. Quando esquecemos as coisas ruins, é ótimo porque uma má lembrança nunca nos faz bem. Mas esquecer as coisas boas é péssimo porque deixamos uma ótima lembrança no canto, e esquecemos também da magia do momento. E lembrar isso, ter um pouquinho desses sentimentos de volta só nos alimenta de amor e otimismo. É tão bom. Tão compensador e prazeroso. 
Hoje eu me peguei vendo coisas do passado. Cavei e cavoquei até que encontrei muita coisa que estava guardadinha. Tive ótimos momentos lá atrás que só me faz acreditar que hoje caminho pelo o que acho certo e caminho para o que eu acredito que me faz bem. Muito melhor que lembranças são as boas lembranças.
Me permito e agora mais que nunca ter sempre boas lembranças de momentos incríveis.
Mais do que isso! Quero relembrar e refazer meus acertos. E isso pode ser em uma conversa, numa refeição ou uma simples caminhada... até a padaria mesmo. Aquele acerto no trabalho ou uma atenção especial a alguém. Momentos de liberdade e paz.
Acredito que se observarmos muito mais os nossos acertos e momentos felizes, podemos nos observar melhor.
Hoje li que, na busca do autêntico crescimento é preciso encarar sim os erros mas também devemos ver claramente os acertos para então sustentarmos essa evolução. Compreender nossos acertos, investir tempo refletindo nos aspectos positivos, gerará mais acertos. Isso facilitará a distinção dos aspectos negativos que realmente importam.
Desejo sonhar acordada com minhas memórias mais doces. 2013 será muito mais gostoso.



sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Ponto final.

2013 chegou e como todo início de ano, fazemos promessas e simpatias. Esperamos mudanças e renovações.
Esse ano eu estou fugindo desses clichês. Para 2013 eu tomei algumas decisões. E a partir de agora é só fazer acontecer.
Melhor que esperanças, boas vibrações e promessas, tomar decisões é mais incisivo. Quando queremos algo de verdade na vida, temos que agir, temos que decidir para qual caminho queremos seguir. E a partir daí temos que acreditar na escolha. Acreditar sempre que a decisão foi a correta e daí é só se preparar para receber o melhor. Pois é assim que será!
Decidi que 2013 será o ano de realizações. Vou realizar tudo que me foi designado a fazer e tudo que eu propor e isso inclui todas as partes da vida: pessoal, profissional e espiritual.
Confesso que me dá um friozinho na barriga de pensar sobre. É muita responsabilidade. É muito foco. Mas também sei de que sou capaz. Sei que posso tratar tudo com mais seriedade. Mas principalmente sei que estou decidida. Decidi que tudo que eu quero dará certo. E se caso o que eu quiser não acontecer, é porque simplesmente não era o certo para mim. Então, de uma forma ou de outra, certo será.
E os decididos também entram em duelos internos (como todos), mas quando resolvem, não existe justificativa. Apenas seguem o caminho que escolheu e pronto. Seguram a onda, pisam firme e seguem em frente. Vida que segue.

Decida-se e fim.
:-)