quarta-feira, 17 de abril de 2013

O que você já aprendeu?

Podem me chamar de rancorosa porque muitas vezes (se não todas) eu fico remoendo todos os acontecimentos da minha vidinha.
Penso, penso, penso!
Penso principalmente naquelas ocorrências que não foram felizes. Os fatos felizes a gente aceita e agradece,  esperando mais. Mas quando surge aquela frustração pois nada aconteceu como o planejado (e olha que tudo é sempre muito bem calculado) o remorso é grandioso. 
Felizmente a vida não depende somente de nós, e esses cálculos dão errados porque nós lidamos com pessoas e não objetos. E felizmente as ações e reações das pessoas são distintas umas das outras. 
Repito felizmente porque isso nos concede o prazer de novas experiências. 
Sim, ficar remoendo os desprazeres da vida nos deixa angustiados, mau-humorados e chateados. O ideal é aceitar tudo isso de coração aberto e seguir em frente.
Mas para haver essa aceitação, na minha humilde (residência hehe) opinião, temos que passar por esse processo de rancor e remorso para que nossa pupila se dilate e nos mostre tudo com mais amplitude. (Nem precisa de entorpecentes! Gosto assim.).
Temos que transformar essas experiências desgostosas em aprendizado. Aprender sempre. Vivendo e aprendendo... Eis o grande prazer da vida, no final.
Dicas ótimas!! hihihihi
Como não vivemos sozinhos porque a vida não foi feita para vivermos sozinhos, acho super válido qualquer tipo de experiência. Até mesmo as mais doloridas, que achamos que vamos chegar ao fim... Dessas, geralmente aprendemos muito mais que podemos mensurar. 
A vida não foi feita para a solidão. Não nascemos sozinhos não! A minha mãe estava lá! Tenho certeza!! A vida foi feita para abraços e beijos. Companhias e olhares... Conversas, risadas e chamego. E para conquistarmos tudo isso, em qualquer relacionamento, seja numa amizade, com algum familiar, até mesmo profissional ou com aquele tão especial temos que conviver constantemente com esses conflitos de aceitação e aprendizado da vida. 

Aceite-se, aceite a vida e as voltas que ela dá! Se não está legal, aceite mas não se acomode! Aceitar não é acomodar-se :) 

terça-feira, 16 de abril de 2013

Coloque prazos

"Nós aprendermos a viver com a dor"   humpf...
Tudo que não está bom na nossa vida precisa acabar, precisa de final e ponto final. Mas o maior problema na vida da gente é que também nos acostumamos com que está mal. Infelizmente isso acontece e porque?! 
Porque o desapego é péssimo. Desapegar do trabalho, do namoro, dos amigos e da rotina, da roupa velha, das correspondências, daquele brigadeiro divino que tem na padaria que eu tomo café e não dá para resistir, da comidinha de casa (lembra como foi dura começar a trabalhar?!). E por mais que  odiamos certas situações é sempre desesperador desapegar. Porém, creio eu que mais desesperador ainda é viver triste com alguma situação, portanto sou super a favor de prazos. 
Mas prazo é um saco!
Quando percebemos que o prazo de validade de uma comida está nas últimas, tentamos fazer algo com aquilo, mesmo sem vontade, para que não haja desperdício. Então tem o prazo final (ou deadline para os    "Yes, I speak Enghish!") de algum projeto de trabalho/escola que sempre faz com que corremos para terminar porque sempre tem aquele imprevisto que não contamos e acaba atrasando... 
Dai tem prazo de troca de mercadoria, prazo de entrega daquela compra do pônei feita pela internet que nos deixa mega ansiosos... Prazos prazos e prazos... É o que tem para nossa vida!
Prazo é compromisso. Compromisso com algo ou alguém. É obrigação, é dever fazer e dever cumprir e respeitar. Quando esses prazos vem de fora, como expus acima, aqueles que são mais responsáveis e preocupados com o próximo, cumprem com louvor e a qualquer custo. 
Quando existem esses compromissos internos, conosco mesmo, sempre tem um amanhã eu faço ou na segunda eu (re)começo. 
Exatamente por isso eu digo que temos que nos colocar prazos. Porque tudo que está ruim precisa acabar e para acabar, precisamos ter a percepção do que está acontecendo. Aquela sombra não pode ficar ali por munto tempo, mesmo porque se existe a sombra é porque tem Luz.
Só observando o lado difícil das coisas é que poderemos resolver qualquer coisa. Aquela ideia do que está ruim pode piorar é realmente muito verdadeira pois o limite e os prazos também chegam, dando espaço para o tão esperado fim. Por isso estou tão convencida que prazos são válidos.
Não deixe pequenas coisas estúpidas brecar sua felicidade
Estipule prazos para que consiga ter consciência do bom e do mau e assim consiga cumprir seus planos sem ansiedade e sem pressa. Todo mundo tem seu próprio tempo. Respeite-o e vá! 
Prazos existem para ser cumpridos e aquela máxima que pipoca no Facebook e no Instagram: "Vai! E se der medo, vai com medo mesmo" é a expressão que mais se encaixa neste contexto. 
Dê-se prazos. Imponha seus próprios limites e nunca, nunca deixe-os expirar, mesmo com medo. Aqueles dois segundos de daquela incontrolável coragem também deve ser aderida neste momento. 


Afinal, o que é nosso ninguém tira.

Que os prazos estejam presentes :)