sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Tome decisões. Lambuze-se de atitudes.

Quem lê o título deste humilde post chega até a acreditar que eu sou 'autoridade máxima' no assunto, como já dizia os comerciais da Tigre. 
Bom,  não sou! E como meu amado namorado sempre me fala: "Só você sabe a alegria e a dor de ser como é!.'
É minha gente... ainda ouço essa! hahahaha
Confesso que é bem dolorido, não ouvir isso dele, mas ser indecisa e pouco ousada. 
Neruda (ta aí uma pessoa que gostaria de ter conhecido) diz que somos prisoneiros das consequências de nossas escolhas. Pablito tem uma parcela de razão nisso. Digo parcela pois existem casos e casos e até mesmo o acasos. 
Acredito que, se Deus nos deu a liberdade de fazermos nossas escolhas, Ele também nos dá condições de corrigi-las (quando há como). Falo isso pois muitas vezes vivemos situações que acreditamos estarmos presas a elas. Vivemos uma vida (tá bom, vai... parcela dela) acreditando que não existe saída, que escolhemos e agora temos que aguentar as consequências.
Mas porque sermos tão auto-punitivos? Porque isso, minha gente?! 
A partir do instante que tivemos atitude para tal escolha, temos que adquirir também atitude de mudá-la se preciso for. 
Para mim, é necessário pensar muito, avaliar muito - quando digo muito, é MUITO mesmo - antes de definir qualquer coisa. Por isso falo que me falta ousadia.
Essa minha característica tão singular realmente me beneficiou por diversas vezes, outras já nem tanto. É complicado sabermos o ideal. 
É claro que não devemos nos basear por histórias que ouvimos por aí, pois tendenciamos a nos poupar e a nos conformar... e ainda seguimos pelo que fará nos sentir melhor naquele momento. Procuro olhar os erros do passado para não repeti-los.
Cada situação exige um tipo de postura da gente. Acredito que o imprescindível seja não fraquejar e é indiscutível manter a fé até que sejamos iluminados por qualquer tipo de ação para combatermos o mal que nos abate.

Qualquer atitude é melhor que a passividade da espera.
'Atitude-se!'