sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Da saga: Em tratamento.......

"eu não sou perfeito.
sou original."
É! Eu ainda não desisti da minha terapia, acreditam?! rs
Confesso que teve semanas que não tive muita vontade e é impressionante como o terapeuta já percebe isso. Pelo menos o meu! 
Bem no dia que eu estava com bem pouca vontade de ir, o doutor me perguntou o que eu estava achando e como me sentia em relação à terapia. Bom, eu que não sou nada direta, dei uma rodeada pra dizer a ele que nem sempre tenho o que falar, que as vezes parece que vou lá à toa, talvez! Mas que sei que ainda preciso fazer, que será bom para mim... meio que estava num impasse...
Bom, dai ele sabendo que a vida é assim de altos e baixos mas que não podemos desistir logo no inicio me disse que temos coisas que precisamos ainda melhorar... que claro que não é legal nem para mim nem para ele que eu faça algo achando que não tem sentindo algum... nós dois estaríamos perdendo tempo. Que era para eu ver realmente o que era melhor para mim. 
Decidi continuar. Pensei: Ah! Dias e dias... nem sempre estamos dispostos a fazer as coisas. Vou tentar mais. E agora lá vou eu, feliz na certeza que estou no caminho certo! 
Sei que estou no caminho certo porque a terapia está ajudando no meu auto-conhecimento. Eu sempre achei que me conhecia muito bem, mas agora percebo que tem certas coisas sobre mim que talvez eu não assumia ou não via da forma que vejo hoje. Algumas coisas que não gosto em mim, hoje sei que não são tão ruins assim como eu acreditava. Apenas sou eu com o meu jeito de ser e isso não significa que sou melhor ou pior. 
Mesmo não sendo a Gabi "Eu nasci assim, eu cresci assim/ Eu sou mesmo assim/ Vou ser sempre assim...", também tenho o meu próprio eu e ponto!
E lhes digo: é incrível sabermos quem somos e quais são realmente nossas falhas, limitações e principalmente nossas qualidades e nossos valores. Juntando tudo, a gente até mesmo consegue identificar melhor as pessoas com as quais convivemos e aí está o grande segredo: como lidar melhor com os nossos. Conhecendo a nós e o nosso entorno, a administração fica simples e a vida vai ficando aos poucos mais leve. 
Até o momento não tenho nada que desabone a terapia. 
Mas contudo, percebo que nunca devemos desistir no primeiro sinal de fraqueza ou então na primeira dificuldade. As vezes inventamos desculpas, achamos que tudo pode ser um sinal para a desistência. Mas a vida não funciona dessa forma. Não da forma mais simples. Temos que perseverar, encontrar forças para não fugirmos dos nossos objetivos e principalmente não abandonar nossos valores e ideais.
A tentativa sempre é muito válida, para tudo na vida. :)