quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Vida feminina

Eu nunca trato aqui de assuntos polêmicos... Mas há um tema em alta que gostaria de falar: o aborto!

Eu NUNCA faria um aborto. Tenho minhas crenças, meus valores e minhas convicções portanto, para mim, é fora de cogitação, sob qualquer circunstância, eu fazer um aborto hoje. 
{Falo isso porque também nunca cheguei perto de uma gravidez, quanto mais indesejada. Só estando realmente na situação para saber, não é mesmo?!}
Mas não é poque eu nunca faria que acho que não deveriam legalizar.
Já está mais que provado que o Estado gasta muito dinheiro para 'consertar' os abortos que dão algo errado, pois são feitos sem nenhum tipo de fiscalização. Mulheres morrem, ficam doentes e até correm o risco de nunca mais poderem engravidar. Há quem diga que essas mulheres merecem isso. Eu não acho.
Existem zilhões de motivos para uma mulher querer abortar. Inclusive aquelas desatentas. Do mesmo modo que usamos contraceptivos para termos livre escolha de ter ou não filhos, a mulher de hoje deveria ter o direito de escolha sobre interromper ou não uma gestação, sobre o que faz com seu corpo.
Não podemos generalizar dizendo que toda mulher que faz isso é sacana e não tem vergonha na cara. Lógico que essas fazem parte da estatística, mas não são os 100%.
Independente dos motivos pessoais de cada uma, afinal não estamos aqui para fazer esse tipo de julgamento, e generalizar é um grande erro, há diversos países que legalizaram o aborto e isso é tratado de uma forma muito mais eficiente.
Está claro que para legalizar o aborto, a educação sobre o tema deve ser intensificada. Inclusive a educação sexual, que ainda possui muitos tabus. Há quem ainda pense que falar sobre sexo é incentivar a prática! Em pleno século XXI, pensar assim é o fim da feira para mim. 
Algumas pessoas envolvem inclusive Deus para tratar do tema e ainda falam que com exceção do estupro, o aborto não deveria existir. Mas é ai que fico cada vez mais confusa. Se partirmos pelo princípio cristão de que nada é por acaso, uma mulher que sofre esse tipo de agressão e ainda engravida não é por acaso. Então partindo desse ponto de vista, aqui o aborto também seria proibido.
Mas independente de tudo isso o fato do aborto ser legal, inibe diversos mercados obscuros e ainda pode salvar centenas de mulheres e direcionar o dinheiro que o Estado gasta em 'consertar' o aborto para a educação e outros áreas deficitárias em nosso país. Acho que devemos olhar não somente aquilo que nos cabe, mas nossa sociedade por um todo. 
Eu Marianna não faria, sob hipótese alguma, um aborto. Sou cristã, sou católica e acima de tudo tenho minhas convicções. Não sou feminista, mas acredito em liberdade de escolha, livre-arbítrio.
Não caberia em meu coração um aborto! Mas acho que quem o faz ou pensa em fazê-lo também tem suas convicções e seus valores e não é porque não são os mesmos dos nossos que não devem ser respeitados.
Os abortos acontecem com muito mais freqüência do que imaginamos e não devemos tampar os olhos para isso. 
Espero que cada vez mais possamos aprender de forma inteligente tudo que vemos acontecendo por aí!

Que sejamos cada vez mais livres.