quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Sobre Saudade...

Eu não sou uma pessoa muito saudosista. Acho até muitas vezes que sou um tanto quanto fria {frígida, nunca...rs}. Sei-lá! Eu não sou daquelas que ficam recordando a infância e adolecência e pensando como era bom! Na verdade eu lembro bem pouco dessa fase.
Gosto mesmo é de olhar pra frente... pensar nas possibilidades que a vida tem e tudo o que ela nos oferece que eu ainda não utilizei. Quero tudo que a vida pode me dar. TUDO!!! 
Mas confesso que sinto MUITA saudade das pessoas. Ahhh! Das pessoas eu tenho tanta saudade. Fico até um tantinho triste com a ausência de alguns dos meus... tenho aquele aperto no coração.
Mas penso que a vida mudou tanto que muitas vezes não temos mais espaço para uma pessoa ou outra. Parece que falta algo que nos aproxime novamente.
No fundo sei que quem mais mudou fui eu. Sei que depois de algumas vivências, minhas vontades, meus desejos, sentimentos mudaram. Inclusive minha aparência física também mudou {pra melhor, sempre! kkk}, porque somos o reflexo do que vivemos, externamos o que somos por dentro. Meus pensamentos e ideais mudam, minha aparência física vai conforme a valsa.
Quando paro para pensar no rumo que a vida levou, no rumo da vida dos meus amigos, me vem uma infinidade de questões: "Onde foi que fulano se perdeu?", "Em qual momento da vida que o levou a tomar essa decisão?", " Será que foi decidido ou imposto?" ... e daí faço as mesmas perguntas a mim mesma: "Porque estou onde estou?", "Quando foi que decidi isso?", "Porque?", "Eu quem assumi o controle ou estou deixando a vida me levar?", "Será que fui induzida, abduzida, seduzida?"
Só não dou espaço para arrependimentos. Afinal, de nada adiantará agora esse sentimento me acompanhar.
Mas a saudade dos meus é algo que eu carrego com pesar, sem arrependimentos, mas com vontade de acabar com ela. 
Tem coisas que não voltam mais, tem amigos que também não voltam mais, mas deixam sempre a vontade de quero mais. Apesar de eu não ser saudosista, tenho meus momentos.

Hoje estou nesse momento, neste e naquele o qual quero tudo, me acho, me amo... bem simplista #sqn , porque simplicidade não combina com Marianna Barbati 

Mas voltando ao tema: sentir saudade me faz ter a certeza que a vida me dá muitos prazeres e eternos momentos de alegria que carrego sempre comigo, dentro do meu coração.

Feliz por sentir saudade <3

terça-feira, 29 de setembro de 2015

E quem ousa dizer não?

Eu vivia dizendo que não dá pra ter tudo nessa vida... que cada escolha uma renúncia... essas frases assim, bem feitas.
Acho que me cansei delas. Acho não! Tenho certeza. 
"Você diz que eu sou um sonhador,
mas eu não sou o único."
Ontem ou hoje pela manhã (não lembro bem) eu li algo que chamou muito à minha atenção: somos os limites que colocamos para nossa vida. Somos reflexos do que achamos que merecemos, somos ainda reflexos do nosso amor próprio.
Acho que dessa vez, essas frases que já as li diversas vezes tocou diferente em mim. Acho que agora eu passei a prestar mais atenção para isso.
Quem disse que eu não posso ter tudo ou querer tudo? Porque não? Porqueeeeeee???? 
Se alguém me explicar o porque eu não posso e se isso for realmente convincente, passo tentar a aceitar essas frases feitas de novo, pois eu realmente cansei delas. 
Não as quero mais. Não aceito mais viver essas verdades.
Hoje para mim, minha verdade é outra. Minha verdade é muito. Aceito muito para ter muito. Exijo muito porque me doo muito. 
Porque eu, logo eu, tenho que ser assim: cheia de frases feitas e verdades absolutas? 
Não quero.
Quero ser o que eu quiser. Quero conquistar as coisas à minha maneira. Quero ser o que eu bem entender e ainda quero fazer tudo do meu jeito. 
Por mais que eu queira tudo, sei que meu coração é puro. Não no sentido de santa ou casta, mas puro nas intenções de querer o melhor para mim e para os meus sem prejudicar o próximo. Puro no sentido de querer amar, amor, alegria, paz e prosperidade para todos. 

Consciência limpa e vida saudável... E assim é!


quarta-feira, 1 de julho de 2015

"Estranheza"

Existe essa palavra? Estranheza?
Bom, na verdade vim aqui falar mais sobre as mudanças da minha vida, conforme citei no post anterior.
Toda e qualquer mudança sempre é para melhor. Pode parecer ruim no começo, mas sempre é para melhor. Isso tenho bem definido e resolvido na minha vidinha.
Falo de estranheza na mudança de vida pois muita coisa está diferente. Inclusive meu modo de encará-la. 
Foram muitas mudanças, a começar pelo trânsito que hoje não pego tanto, mas pego mais ruas esburacadas.... E isso me revolta. Uma cidade como São Paulo deveria ser melhor preservada e não tão abandonada. 
Outra mudança é que passo MUITO mais tempo com a minha família e namorado porque trabalhamos juntos e isso pode ser ruim para alguns, mas para mim é legal e vou explicar: a gente tem a oportunidade de fazer mais refeições juntos, ora falando de trabalho, ora falando da nossa vida; estamos todos unidos em busca do crescimento de nossa empresa; descobri que temos mais coisas em comum do que parece; fico mais tempo com meu irmão e minha sobrinha que antes era mais difícil de nos ver pela correria do dia-a-dia; discutimos mais sobre nossos problemas e consequentemente resolvemos eles melhor e mais rápido.
No começo adaptar tudo isso era meio confuso. As vezes me faltava fôlego... mas fui em frente e percebi que o diferente é legal. Ainda mais porque hoje faço a minha rotina. E eu adoro rotina. Quando tenho uma rotina e cumpro com ela me sinto realizada, sabe?! Fico feliz que cumpri com tudo que me impus. Então adoro rotina e quando nós a criamos, é melhor ainda. E hoje isso faz toda a diferença para mim. 
Mas o período de adaptação é estranho porque temos hábitos e mudar os hábitos nos causa stress... afinal muita coisa fazemos no automático... tipo robozinhos. Eu fiquei nervosa, fiquei
ansiosa, comi demais, me cobrei demais também. Queria tudo resolvido ontem. Mas os 32 me permitiu parar e pensar. Respirar fundo e agradecer por todas as mudanças, por mais difíceis que são. Por mais que busquemos essas mudanças, sempre é mais simples permanecer na zona de conforto, e por isso muitas pessoas (a grande maioria) desistem de seus objetivos e permanecem na mesmice. Sair da zona de conforto é stressante. 
Eu agora, ganho muito menos, mas aprendi a gastar muito menos também, principalmente com futilidades. Lóóóógico que algumas coisas ainda são extremamente necessárias como aquele shampoo especial... mas percebi que muita das coisas que eu comprava antes hoje não me fazem falta alguma. Fiquei 4 meses sem comprar uma peça de roupa e pasmem: não saí de casa nenhum dia pelada. Comprei uma única blusa semana passada e pasmem de novo: ainda não usei. To guardando pra melhor hora. {sempre que comprava algo, tinha que sair usando já... pra afirmar minha necessidade acho..kkkkk}
Vi que gastei muito dinheiro com muita coisa inútil mas também gastei muito pra ser feliz, como viajar e curtir com meus amigos e namorado. Hoje deixo a certeza que o inútil dificilmente voltará com essa força em minha vida futura e ryca. Sim! Porque eu trabalho e não é pouco para ficar ryca. Trabalho sim para ter retorno financeiro também! 
Posso contar meu objetivo de vida para vocês? Quero ter um iate e um apê na Europa, só não decidi ainda o local, mas depois eu conto quando eu descobrir. Pensei na costa amalfitana ou na Riviera Francesa. Mas ainda tenho dúvidas, então não está tão claro em meus pensamentos..... Só isso! que eu quero...Depois eu já sossego.
Mas é isso toda a estranheza da minha vida. Se eu lembrar de mais eu volto e conto! 

terça-feira, 30 de junho de 2015

Em busca........

Eu, como a grande maioria das mulheres queremos ser perfeitas. Cabelo, pele, corpo e alma lindos. 
Mas, minha cara... Não dá. Tento aceitar que não podemos ser tudo. 
Por exemplo: não dá para ser linda, legal e gostosa. Temos que optar por dois deles, assim como a maioria das mulheres normais...
Ou se é linda e legal, sendo assim o corpo fica para depois. Ou se é legal e gostosa, nessas condições a beleza (física mesmo) fica para outra hora. Ou se é linda e gostosa, e a parte legal não aparece mesmo. Rara as pessoas que acompanham tudo isso... Eu mesmo, desconheço.... kkkkk (amiguinhas, me desculpem mas vamos ser realistas!).
De qualquer forma, ainda assim quero ser a excessão da regra, gente! E quem não quer, né? Mudar o mundo e fazer a diferença?! Vamos nesta busca incansável e incessantemente. 
Depois de tantas tentativas de atingir a perfeição, hoje eu busco me encontrar com o natural e saudável. Depois te tanto ler e perceber quanto a industria nos induz às compras impulsivas, compulsivas e pouco úteis em diversas partes da nossa vida, hoje quero ir contra as regras impostas pela sociedade. Não que eu seja comunista ou ativista ou algo assim.
Apenas quero desapegar de tantos rótulos, sejam eles dos produtos industrializados ou daqueles que nos impõe. Aquele rótulo que devemos ser e agir como TODOS agem.
Mas quem disse que quero ser igual a todos, não é mesmo?! Mesmo porque, lá na nossa adolescencia, a graça da vida se resumia a fazer tudo diferente das imposições.
Hoje estou em busca do saudável. De fazer as coisas como eram feitas antigamente.... Acordar quando o Sol acorda, comer alimentos de verdade e não comida rápidas e industrializadas, fazer atividades físicas para que meu corpo não atrofie no sedentarismo urbano, onde tudo está fácil e acessível, passar algum tempo por dia fazendo coisas que me tragam algum relaxamento/aprendizado. Ler, escrever, pintar, namorar, rezar, meditar ou simplesmente aquele famoso Dolce Far Niente. 
Hoje realmente sinto que estou caminhando para a paz, prosperidade e felicidade cheias de consistências. Sabe aquelas que não vão embora tão fácil assim.... Essas!
São pequenas mudanças no modo de ver as coisas e encarar nossos problemas que fazem toda a diferença. Lógico que não estou radicalmente nesta vida. Ainda sofro e me rendo algumas tentações mundanas. Não quero tantas cobranças (minhas mesmo) que tenho que ser perfeita (em cima daquilo que acho certo) agora! Em 3..2..1... já!!!! Não dá. Mas pelo fato de já ter feito algumas pequenas mudanças na minha rotina já me sinto muito mais forte e confiante.
Confesso que todas as mudanças que aconteceram na minha vida desde final de 2014 até hoje foram estranhas. Na verdade não sei qual palavra usar, então adotei estranho mesmo. Sei-lá... Mudei minha rotina, meu 'padrão de vida', os lugares que frequento, muita coisa mesmo. Mas talvez isso seja assunto para outro post. De qualquer modo, toda essa mudança me fez sentir-me 'estranha' e agora estou me encontrando novamente. E essa busca pelo saudável é algo que tem me direcionado para um caminho muito bom e feliz. Sinto que posso controlar mais minha vida e minhas decisões, permitindo com que eu faça escolhas mais assertivas.

Tá legal, sabem?!

#MariNoComando 

terça-feira, 19 de maio de 2015

Ajude(-se)

Hoje quero começar o dia com uma oraçãozinha, de autoria de uma blogueira fitness {Karla Souza}, o qual achei bem inspirador:

" Que toda pessoa que não me quer bem encontre a paz, o amor e a alegria de viver, e assim, repleto de felicidade, não encontre tempo nem vontade de me querer o mal." Amém.

Bom e assim começo meu dia. Cheio de reflexões. Cheio de coisas. Hoje vejo quanto somos vitimas de nossas próprias ações. Hoje, mais do que nunca, percebo que ajudar alguém se torna obrigação ainda mais se essa ajuda é contínua. Ajude sim as pessoas, mas ajude apenas uma vez para que isso não se torne uma rotina e uma obrigação na sua vida.
Seja bondoso e tenha compaixão, mas não permita que esses sentimentos se transformem e dó, pois se isso acontecer, você passará a carregar um peso que não lhe pertence, passará a carregar a cruz de outrem. 

Hoje percebo que não importa o quanto fazemos, por quem fazemos, isso logo se ternará uma obrigação se a ajuda virar rotina. Não permita. Uma ajuda é apenas um socorro momentâneo, não algo que deva ser estendido. Ajudar deve ser passageiro e eventualmente. Não queira mais problemas para si, pricipalmente os alheios. Cada um carrega a cruz que aguenta. Cada um suporta suas próprias dores e cabe a cada um curar-se por si só. 
Não seja muleta, nem bengala de ninguém, apenas de si mesmo. Apoie-se em você para ir além, e vá! Não perca a coragem, nem a determinação de querer alcançar o que seu coração almeja. Vá fundo e enfrente, mas enfrente somente os SEUS problemas e de mais ninguém! 

Não permita ser vítima de suas próprias ações!

Bom dia, gente! <3

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Eu....

Eu ando numa fase bem analítica!
O quê você vê? 
Acho que porque algumas coisas na minha vida não estão do jeito que eu gostaria que estivessem, dai a gente fica assim: mais crítica com o mundo! rs

Na verdade eu tenho percebido cada vez mais que tudo que não está como eu gostaria é porque dei espaço para que estivesse assim. Não fiz o que tinha que fazer no momento certo e hoje colho esses frutos de frustação... Mas tenho fé e acredito que nunca é tarde para recomeçar. 

Farei 32 anos daqui a 9 dias e já me reeinveitei várias vezes... para eu fazer isso mais uma vez, não será grande sacrifício! rs

Percebo ainda que tudo, exatamente tudo é uma reação de nossas ações. Se somos incompreendidos é porque não procuramos compreender o próximo. Se vivemos irritado é porque irritamos demais aqueles que estão à nossa volta. Assim como se sorrirmos, recebemos sorrisos. Se alegramos, seremos alegrado por alguém... e assim é a vida. 

Então tento, a partir de agora reestabelecer minhas metas pessoais. Sem metas pessoais não haverá progresso pessoal. Seria como trabalhar sem expectativa de uma promoção. 

Geralmente isso é feito no Reveillon...Em janeiro, onde temos um novo ciclo. Mas a vida é tão boa que todo dia é um ótimo novo motivo para recomeçar. Esse meu momento auto-analítico/crítico pode ser um excelente período para me refazer, olhar melhor para meu umbigo.

Sei que coloco sempre o bem, a verdade e a justiça na frente de tudo. Eu chamo tudo isso de Deus. Acredito muito nEle e sei exatamente que sem Ele (ou isso para alguns), não podemos evoluir. Claro que meus valores nem sempre são absolutos. Mas acredito que meu coração e minha intuição são totalmente voltados para o bem e para Deus. Então os sigo sempre! 

"Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra."