quinta-feira, 10 de março de 2016

Fase Zen

Como todo ser-humano eu sou de fases. Essa minha fase até que tem durado bastante e eu tô achando é ótimo.
Tenho procurado fazer bastante leitura sobre espiritualidade. Não espiritismo. Espiritismo é uma religião (que tem todo o meu respeito) e espiritualidade é quando a gente busca a razão de nossa existência, vamos se dizer assim, sem dogmas e mais consigo mesmo.
Procuro me entender mais. Aquele tal de auto-conhecimento que tanto as pessoas falam, mas poucos o tem de fato.
Realmente na correria do dia-a-dia, pouco paramos para nos auto-analisar para avaliarmos nossos erros e acertos, para assim melhorarmos os erros e dar continuidade nos acertos. 
Um fato é certo: TODOS nós estamos aqui para contribuirmos com a evolução do planeta. De alguma forma fazemos total diferença na realização e evolução do universo. 
Sabendo isso, me pergunto sempre: como posso ser melhor? O que posso contribuir para o mundo? Certamente não foram somente os grandes cientistas, filósofos e físicos que fizeram o bem ao mundo.
Todos que já estiveram por aqui deixou algo relevante.
E eu quero MUITO deixar algo relevante. Quero deixar aqui somente o meu melhor e quero também receber o melhor. Levar o melhor aprendizado que adquirimos durante a vida.
Mas é engraçado como pequenas coisas, vindas de maneira inusitada toca a gente de uma forma tão diferente que nos faz realmente mudar.
Lendo um livro, romance e nada de auto-ajuda, nada psicólogo, apenas uma ficção cheia de romantismo por pura distração e diversão, aprendi que os problemas que não são meus, realmente não são. 
A gente tem aquela velha mania de pegar os problemas alheios e tentar resolver. Mas lendo esse livro, percebi de verdade que não dá messsmo.
Mas eu li tanto a seguinte frase: "Sou responsável apenas pelos meus sentimentos. Não posso responsabilizar as outras pessoas pelas minhas frustrações. Tenho total poder sobre mim e não sobre os outros."
Dai você pensa: Mas o que isso tem a ver com querer resolver os problemas alheios?
Eu lhes digo que tudo! Quando passamos a perceber que a minha infelicidade só depende de mim, que minhas frustrações só dependem de quanta expectativa eu criei anteriormente e que minha felicidade é total mérito meu por ter tido um ponto de vista positivo sobre tais situações, passamos a não mais querer resolver o problema do outro porque somente o outro saberá ver esse problema de uma forma positiva ou não. Eu aprendi a enxergar assim, tenho aprendido.
Poucas pessoas conseguem me tirar do sério de verdade. Ou me ofender. Ou me colocar para baixo. Ou até mesmo me colocar tão pra cima que o ego começa a dominar. 
Quando passamos a ter a consciência real que a vida que vivemos é a materialização de nossos pensamentos, passamos a entender melhor o porque cada um de nós vive tem seus próprios problemas. E assim como os bônus da vida, que queremos vivenciá-los de corações abertos cheios de alegrias, temos que viver o ônus da mesma forma, para assim finalmente aprendermos o porque estamos passando por isso e se há alguma chance de mudar. 
Eu acredito que tudo possa ser mudado. Só depende de nós. Só depende de nosso querer. Só depende das nossas intenções.

=)