quarta-feira, 29 de junho de 2016

Sonhar não custa nadinha.

Já que sonhar não custa nada... Diz ae: quais são seus sonhos?

Eu tenho um montão. De verdade!

Hoje o que eu mais quero fazer é uma peregrinação e logo... Isso mesmo: passar uns 10/15 dias
andando uns 25km por dia.
Caminhada mesmo daquelas que usa cajado, mochilinha nas costas, coragem e muita perseverança.
Quando eu conto desse meu desejo, não tem uma pessoa que não fala pra mim que eu não vou conseguir. A maioria me acha sem noção. Mas juro que eu morro de vontade e farei num futuro não muito distante. Vou contar como aconteceu isso: Um belo dia lá no comecinho de 2012 eu estava voltando de uma viagem de férias com meus pais (a gente geralmente passa o réveillon viajando e era um voo de mais ou menos 5 horas) dai decidi assistir o seguinte filme que estava em cartaz no avião: Em busca de um caminho. No começo achei ele meio chato mas como sou brasileira e não desisto fácil, continuei. Logo o filme começou a me entreter tanto, mas tanto que quando o filme acabou a única coisa que eu pensava era: quero fazer isso da minha vida!
À época eu achava que não era paupável. Não cabia na minha vida... Mas com o passar dos anos, essa vontade vem crescendo em escalas multiplicadoras (existe essa expressão? :/). E mulher encucada é mulher sem sossego. Enquanto eu não fizer eu não vou ficar tranquila. Já quero fazer agora em outubro desse ano. Decidi isso agora. Neste instante! Vou direcionar meus esforços para que isso ocorra.
Depois que eu voltar, quero escrever um livro também. Tenho certeza que terei inspirações para tal. É muita ilusão ou pretenção a minha? De verdade mesmo: quero muito!!! Eu não estou sendo irônica. Acho que nunca expressei tanto algo que eu quero. Costumo guardar esses desejos até se concretizarem. Mas acho que merece falar sobre isso. Na verdade é daqueles desejos que não cabem dentro da gente.
Penso que tantas pessoas por aí conseguem fazer, porque não euzinha? Também sou abençoada e inteligente. Tantos seresumaninhos como eu, você, de carne e osso fizeram, inspiraram, ensinaram, entreteram e descobriram uma infinidade de coisas e pessoas e daí eu volto a perguntar: porque também EU não? Eu sim! EU SIM! Também posso ser tudo isso e mais.
Sabem porquê? Sabem?? Porque eu sou muito legal. E não são apenas palavras de mamãe e papai não. Muitos outros não-parentes falam isso e eu acredito porque sou muito fofa.
Bom, depois que eu voltar da viagem, conto melhor sobre esses detalhes do desenrolar do acontecimento.
E como sou insaciável, em paralelo com a carreta escritora e inspiradora do mundo preciso tocar minha vida pessoal também... Casar, amar, ter filhos!
Não está difícil, vai!? Eu sinto que tudo dá (sem segundas interpretações, por favor. Vamos ser maduros aqui! #sqn).
Organizando direitinho, {todo mundo transa} tudo acontece.


Pinky: O que vamos fazer hoje a noite Cérebro?

Cérebro: A mesma coisa que fazemos todas as noites, Pinky - Tentar dominar o mundo!


É o que eu quero: conquistar o mundo! Vem planeta Terra. Vem que você tá ficando pequenina para mim hahahahaha



=)

Pensando um pouco demais

Eu continuo aqui na minha saga de compartilhar.
Na verdade eu assisto à algumas coisas da vida e me comovo e acho que temos que falar sobre isso.
Quase um desabafo.

Eu assisto uns programas que são puro drama. Adoro esses.
Segundas de emoção no Discovery Home & Healthy. Só por isso já sabemos do que se trata daquele dramalhão mexicano.

Tem um programa que se chama '90 dias para casar' e se trata basicamente de um lado americano e outro estrangeiro, assim o casal para ficar juntos nos Estados Unidos tem que casar em 90 dias para dar entrada no Green Card e prorrogar o visto de permanência no país. A partir daí existem milhares de variáveis e inseguranças. Muitas vezes o(a) gringo(a) tem que morar com os familiares do(a) americano(a).
Se duas pessoas do mesmo país já é complicado imagina aí outra cultura, com linhas de pensamentos bem diferentes e então você adiciona pessoas e pessoas nessa história. Mano do céu! É treta. Daquelas de chorar, das pessoas fazerem as malas, de expulsão...
Fora isso as pessoas criam regras para estarem umas com as outras.
Tá bom! Confesso que adoro regras. Mas quando se tem 90 dias apenas é só mais um problema que se cria dentre tantos que já tem que superar rapidamente.
Sou super a favor de contratos nupciais, ainda mais nesses casos. Mas tem que ser algo bem visto. Não dá pra favorecer só um lado. Tem que ser algo bem bilateral. E chegar nesse acordo pode ser bem estressante.
O fato é que o maior estresse está no tempo. É muito pouco tempo pra decidir algo tão importante.
Mas descobri outro fator:  que não importa tanto o tempo. Sempre tem um lado com mais certeza que o outro. Sempre tem um com tendência de desistir. Talvez por medo, talvez porque ainda não esteja seguro e confiante o bastante para saber se aguenta tamanha mudança. Sei-la. Existem milhares de razões mas o mais impressionante é que as pessoas mesmo assim vão em frente.
Se é bom ou ruim, não sei. Mas seguem em frente. E no final a vida é assim: seguir em frente!
:)

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Envie mensagens

Aconteceu algo comigo que preciso mencionar aqui.
Olha que coisa!Aqui está uma experiência que acho bem interessante em compartilhá-la seja lá com quem estiver lendo.
Talvez chegue a quem deva chegar, mesmo que seja apenas a uma única pessoa.

Lá vai!

Eu andava sonhando demais com uma pessoa que se fez muito presente na minha vida mas que agora não faz mais. Caminhos opostos... ou talvez essa pessoa quis mesmo se distanciar... vai saber! Sei que assim se deu e pronto. 
De alguma forma isso ainda eu sentia que talvez essa história pudesse estar mal resolvida. Mas confesso também que eu nunca fui questionar nada.

Então eu senti que chegou a hora de eu falar o que eu sentia de alguma forma. Pensei que uma mensagem seria ótimo. Sentei, respirei e ali no meu bloco de notas do celular comecei a escrever tudo o que eu sentia. Tudo que eu queria que a pessoa soubesse. Coloquei tudo para fora.
Em algum momento eu percebi que sonhar demais com uma pessoa pode ser mesmo algo mal resolvido. E esses meus sonhos eram realmente constantes. Quase que semanalmente. 
Quando eu cheguei ao fim da mensagem, com muitos desejos positivos e de bem, porque era o que eu realmente sentia, pensei: vou enviar. Dei um copiar e então fui interrompida com algo. Não me lembro o exatamente o que me interrompeu. Sei que me distraí com outros assuntos e essa mensagem nunca chegou ao seu destinatário. Simplesmente passou e eu acabei deixando esse assunto totalmente de lado. Me esqueci completamente.
Mas dali em diante, senti um alívio grande em relação a esse assunto. Meus sonhos cessaram e simplesmente não penso mais sobre isso. 

Realmente poderia pegar essa mensagem e enviá-la hoje. 
Mas sinto que o momento simplesmente passou. Se foi. E não vejo o porque enviar agora a mensagem.

O que eu realmente aprendi é que por mais que a mensagem não tenha chegado a quem deveria, minhas intenções foram postas para ela e de alguma forma, minhas intenções chegaram. De alguma maneira, tudo que talvez um dia me incomodou ou chateou, foram embora com todas as minhas intenções de bençãos e boas-novas. 
A mim, cabe levar e me apegar ao que eu quero e quero mesmo me apegar aos bons momentos. Porque são desses momentos que vivemos e são desses momentos que seguimos em frente, procurando sempre mais como os que passaram. A gente caminha em busca da alegria e é nisso que me apego. 

Talvez apenas escrever seja a melhor forma de enviar boas intenções àqueles que amamos e não temos mais contatos. Comigo a mensagem não precisou necessariamente chegar fisicamente ao destinatário. Talvez com você seja melhor entregar uma carta ou enviar um e-mail, WhatsApp, inbox... enfim... o que vale mesmo é dar o primeiro passo. É agir!

=)

Pergunte sempre

A pergunta é: Como vou vencer todos os obstáculos do dia de hoje?

Trabalhar pode ser um grande desafio pessoal. Muitas vezes temos que fazer algo que não gostamos e somos obrigados a sair da nossa zona de conforto constantemente. 
Imagina trabalhar na empresa da própria família?! Então... eu lhes digo que não é fácil. 
Muitos torcem o nariz quando digo isso. Acham que por eu trabalhar na empresa que meus pais fundaram, há 25 anos atrás eu venho aqui fazer volume. Acreditam que posso entrar e sair na hora que bem entendo, que minhas responsabilidades são mínimas. 
Acreditem: não é!
Não é nada disso. 
Todos os dias tenho que superar minhas limitações. Tenho que enfrentar meus medos e inseguranças para seguir em frente. 
Para mim, não tem sido uma experiência simples. Confesso que sinto muita vontade de me desligar daqui por completo e fazer outras coisas. Mas ao mesmo tempo sinto que tenho grande responsabilidade com todos aqui e que tenho que continuar com o 'legado'.
É uma dualidade muito grande que existe. Mas tenho certeza que vou encontrar esse equilíbrio na melhor hora.
E é assim que encontrarei esse equilíbrio: pergunto como vencerei. Jogo para o universo e sei que as melhores respostas virão. 
Só esperar e continuar trabalhando da melhor maneira possível. 
Daqui dou somente o meu melhor e é assim que teremos grandes resultados.

=)

Foco e determinação é o que rege uma empresa. 
Aqui não será diferente.



domingo, 26 de junho de 2016

Compartilhar

O que posso compartilhar hoje?

É assim que sinto que devo começar meu dia.
Compartilhar.
Essa palavra anda bem em alta... Não só pelas redes sociais mas por toda essa onda zen... De sermos mais colaborativo uns com os outros.
Engraçado que se formos estudar todas as religiões, isso já é falado desde sempre. Sem exceção. Mas acredito que pouco praticado, tanto que Jesus Cristo era um homem de extrema compaixão numa época que esse sentimento era extremamente escasso.
Mas o que é compartilhar? Bom, se eu tiver que compartilhar minhas coisas como carro, dinheiro, maquiagem, bijuterias, roupas... Eu confesso que não gosto não. Não sou dessas. Não me sinto feliz em emprestar minhas coisas. Tudo bem material... Talvez eu seja extremamente materialista, sei-la.
E por mais que eu não goste de emprestar ainda me sinto mal muitas vezes negando quando me pedem. Me sinto egoísta.
O único problema de ser egoísta como sou é que a sociedade te julga muito mal. Pelo menos na minha. Fui criada para sempre dividir minhas coisas e não poderia ser tão egoísta. Mas qual o problema afinal?  Ainda não encontrei razões suficientes para eu emprestar minhas coisas para outras pessoas.
Mas enfim... Voltemos a falar de compartilhar: o que seria compartilhar afinal? Ao meu entender hoje, compartilhar seria passar o que eu sei para as pessoas. Meus ensinamentos. O que eu acho correto e bom. O que eu vivi de positivo.
Engraçado como a vida às vezes não parece que nos deixa com tantos momentos assim. Mas certamente podemos tirar coisas boas em tudo. Tudo pode ser um grande aprendizado ou uma forma de amadurecermos. Ou então algo que já sabemos que não queremos mais.
Tudo isso é realmente algo positivo.
Algo que eu já sei que não quero mais deixar de fazer é viajar. Dei um tempo nas minhas viagens e hoje eu percebo o quanto eu sinto falta de viajar. Às vezes eu até ficava me achando over que vivia pensando nas viagens passadas. Como aquelas pessoas vivem de glórias passadas, sabem?! Mas então percebi somente o quanto viajar me faz falta. O quanto ainda tem tanto lugar pra eu conhecer e explorar e ter meus próprios julgamentos.
Em algum momento da minha vida eu achei que precisaria abrir mão de algo que eu gostasse muito para ter outra. Sinceramente não sei que ideia foi essa minha. Ridícula.
Mas como o que pensamos é o que vivemos eu passei a viver isso. E não gostei não.
Hoje eu acredito que dá pra ter tudo na vida. Nem sempre precisamos perder. Nem sempre precisamos optar. Nem sempre precisamos escolher. Tantas pessoas por aí tem tudo, porque não eu?!
Então eis aí algo que eu preciso rever: meus pensamentos e desejos.

=)