terça-feira, 16 de agosto de 2016

Tudo (não) é obrigação

Eu fico só observando como a gente se cobra em tudo.
Já começa que nos cobramos que para viver nesta vida temos que ser magras e isso já elimina um pouco do prazer de comer sem culpa alguma, ainda mais agora que existe um adendo nesta regra: saudável. Não adianta ser somente magra, queridinha! Temos que ser magras e saudáveis. Portanto tudo depende muito mais da qualidade do alimento que ingerimos. 
Mas isso se torna ilusório meu bem, uma vez que 90% das vezes não sabemos exatamente a procedência do ingrediente ingerido. Só temos essa certeza absoluta em casa ou em algum local de extrema confiança.
Daí quanto queremos nos divertir, temos que ir a algum lugar badaladinho ou caçar Pokemon e TEMOS que postar nas redes sociais e porque isso?? Porque é legal mostrar para o mundo o que está fazendo da vida, além de caçar Pokemons.
Hoje eu só tenho vontade mesmo é de ler livros, de preferencia em casa mesmo, com aquela roupa bem velha e até rasgada. Sem maquiagem e sem cabelos arrumados. Sem unhas feitas e sem acessórios (apesar de ter alguns que não tiro para nada). 
Eu só tenho vontade mesmo da minha companhia, dos meus pensamentos. Engraçado como me fecho e mergulho profundamente em mim mesma. Talvez seja do meu signo. Mas creio mais na minha personalidade egocêntrica.
Não quero parecer nada para ninguém. Mas quero SER inspiração de alguma forma para aqueles que estão ao meu redor.
Ser leve, natural e sem obrigações é como a vida deve ser vivida. Sem amarras, sem desacordos.
O complicado mesmo é fazer-se cumprir todos os nossos desejos. 
Naturalmente temos que fazer concessões. Naturalmente temos até que mudar de ideia e de desejos. Mas só peço que sejam feitos de forma espontânea e alegre, assim voltamos à parte do leve e natural.
Só desejo àqueles que aqui pararam para uma breve lida, dias sem complicação, obrigação e indagação.

domingo, 14 de agosto de 2016

Faça só hoje

Eu estou fazendo um exercício psicológico por dia. Na verdade não sei qual nomenclatura usar. Já mudei várias vezes. Mas acho que esse nome se encaixa bem.
Estou lendo um livro baseado nos ensinamentos da cabala (kabbalah) que sugere isso. Realmente está sendo legal e desafiador.
É uma leitura que faço toda manhã, assim que acordo e lá fala sobre o desafio e uma pequena meditação. 
O que tenho mais gostado disso é que acabo fazendo os exercícios meio que instintivamente.
Hoje o exercício é enxergar a beleza nas coisas. O paraíso na terra. 
Bom, sai pela manhã para uma corridinha mas como não estou fazendo muitas atividades esses dias (ando preguiçosa), não me encontro na melhor disposição física. Logo me cansei mas como uma boa brasileira que não desiste nunca, decidi fazer um caminho de volta para casa mais longo. 
Moro num bairro totalmente residencial e cheio de casas, apesar de eu mesma morar em apartamento. Acredito que 90% do meu bairro é composto de casas. Na volta, com calma e caminhando comecei a notar inteiramente meu redor.
Domingo de sol, dia dos pais...percebi que está mais agitado que o normal. Pessoas nas ruas, carros chegando para o almoço, pessoas sorrindo. A maioria das casas que normalmente parecem esquecidas, nota-se movimentos. E o cheirinho de comida no fogão? Cada casa que eu passava na frente, sentia um cheirinho diferente, um cheirinho gostoso de comida fresquinha. Existe algo melhor? Todo mundo esperando suas visitas. Alguns estavam limpando a garagem, arrumando o jardim, outros pintando o portão e todos querendo dar o melhor para quem chegava. Essa motivação é sensacional. 
E aqui em casa não foi nada diferente.  Sai com meu pai fazendo uma feijoada. É! Feijoada de domingo. Aqui a gente gosta de mudar... Como nunca fazemos o trivial, a feijoada é realmente especial. 
Todos os dias fazemos tudo tão automático que não vemos as coisas ao nosso redor. Até quando vou correr na rua, que gosto muito pois é uma das poucas coisas que não utilizo o carro, faço o mesmo caminho, vou até um certo ponto e volto. Meio que no automático. Posso até ir um pouco mais longe, mas sempre na mesma direção. 
Mas quando as coisas estão em nosso subconsciênte, a gente faz. 
É isso que tenho aprendido esses dias. Começar nosso dia com positividade e boas atitudes, faz toda a diferença da vida. 
Quando a gente lê que podemos mudar nossa vida, realmente podemos sim se agirmos diferente nos pequenos detalhes do dia-a-dia. 
Não precisamos de nada extraordinário e de nenhum acontecimento mágico para que isso aconteça. Somente sermos diferentes um pouquinho por dia.

=)