terça-feira, 16 de agosto de 2016

Tudo (não) é obrigação

Eu fico só observando como a gente se cobra em tudo.
Já começa que nos cobramos que para viver nesta vida temos que ser magras e isso já elimina um pouco do prazer de comer sem culpa alguma, ainda mais agora que existe um adendo nesta regra: saudável. Não adianta ser somente magra, queridinha! Temos que ser magras e saudáveis. Portanto tudo depende muito mais da qualidade do alimento que ingerimos. 
Mas isso se torna ilusório meu bem, uma vez que 90% das vezes não sabemos exatamente a procedência do ingrediente ingerido. Só temos essa certeza absoluta em casa ou em algum local de extrema confiança.
Daí quanto queremos nos divertir, temos que ir a algum lugar badaladinho ou caçar Pokemon e TEMOS que postar nas redes sociais e porque isso?? Porque é legal mostrar para o mundo o que está fazendo da vida, além de caçar Pokemons.
Hoje eu só tenho vontade mesmo é de ler livros, de preferencia em casa mesmo, com aquela roupa bem velha e até rasgada. Sem maquiagem e sem cabelos arrumados. Sem unhas feitas e sem acessórios (apesar de ter alguns que não tiro para nada). 
Eu só tenho vontade mesmo da minha companhia, dos meus pensamentos. Engraçado como me fecho e mergulho profundamente em mim mesma. Talvez seja do meu signo. Mas creio mais na minha personalidade egocêntrica.
Não quero parecer nada para ninguém. Mas quero SER inspiração de alguma forma para aqueles que estão ao meu redor.
Ser leve, natural e sem obrigações é como a vida deve ser vivida. Sem amarras, sem desacordos.
O complicado mesmo é fazer-se cumprir todos os nossos desejos. 
Naturalmente temos que fazer concessões. Naturalmente temos até que mudar de ideia e de desejos. Mas só peço que sejam feitos de forma espontânea e alegre, assim voltamos à parte do leve e natural.
Só desejo àqueles que aqui pararam para uma breve lida, dias sem complicação, obrigação e indagação.