segunda-feira, 5 de setembro de 2016

A vida e a bebida.

Por que toda vez que o assunto é álcool, as pessoas tratam isso como exagero? Como se o álcool não fosse algo destrutivo, viciante e degradante?
Só porque é lícito não significa que é legal.
Não canso de ver as pessoas se gabando por beber. É uma competição tão babaca de quem bebe mais, de quem faz mais merda porque bebeu e um orgulho tão grande em relação a isso, que me enoja. 
Todo mundo trata a bebida como algo normal. "Eu trabalho a semana inteira e por isso faço questão de beber aos finais de semana", como se isso fosse um prêmio. À mim, me soa mais como uma desculpa. 
Porque a pessoa não faz algum bem para a sociedade e para o mundo ao invés de sair por aí tendo que beber? Parece uma obrigação. Até algo que deveria ser divertido, se torna uma obrigação. Deve ser por isso que sempre surge briga em bares.
Eu bebo. Não sou nenhuma abstêmia. Não estou aqui também julgando diretamente uma pessoa. Mas queria muito que todos nós tivéssemos mais consciência quanto ao álcool. Não é somente diversão. Existe muitos e muitos problemas relacionados a isso que a grande maioria da população ignora porque é mais fácil.
Eu quero muito que as pessoas entendam que vício não é aquele que você pratica todos os dias. Vício também se dá àqueles que não sabem quando parar. 
Vejo muitas pessoas por aí que não se consideram alcoólatras ou viciadas simplesmente porque não bebem todos os dias. Ao meu ver, isso é uma ideia bem distorcida. 
Um alcoólatra se dá quando ele não sabe a hora de parar de beber, não importando sua frequência. Se ele bebe uma vez por ano e nessa única vez vai até o limite do corpo, não sabendo dizer não para o próximo copo é porque não tem auto-controle suficiente e não deveria nem ter começado a beber. Isso para mim é um alcoólatra.
Nós deveríamos entender que se temos que atingir uma certa maturidade para beber, temos que ser  maduros e corajosos para saber parar. 
Só porque é lícito e as pessoas consomem normalmente como uma forma de prêmio e essas mesmas pessoas se esquecem que tem alguém bem próximo com exatamente esse problema: o álcool.
Eu não conheço nenhuma família livre do alcoolismo. Nenhuma! Se não são pessoas que vivem no mesmo teto que o seu, é seu tio, seu avô, cunhada, prima... enfim!
Desconheço uma só família brasileira que não tenha passado por algo do tipo e o que mais me entristece é que as pessoas julgam tão normal beber que não conseguem olhar para si mesmas, dentro das suas próprias casas e refletir o quanto a bebida prejudica, não apenas a saúde de quem ingere mas acaba com a saúde emocional, bem-estar e diretrizes de um lar. 
Não acho que as pessoas deveriam parar de beber para sempre, mas acredito que as pessoas deveriam se poupar mais. Perceber que se não tem controle, não comece. Mas se o caso é de parar para sempre, então eu apoio 100%. 
Tenha coragem para dar o primeiro gole e tenha mais coragem ainda para parar. Ou então não comece.
Eu não acredito que isso seja um exagero da minha parte. Assim também como pouco acredito que as pessoas se colocarão a disposição de ler tudo pois a grande maioria acha babaquice.
Mas se ao menos UMA única pessoa ler e se conscientizar que beber pode ser divertido a partir do momento que souber quando parar, já me considero vencedora e considero uma vitória principalmente para a sociedade. 
Nem quero entrar nos méritos maléficos da bebida como agressividade, incapacidade de raciocínio (demência), perda de tecido muscular (fraqueza), depressão... e mais uns trocentos problemas.
Só quero mesmo que as pessoas tomem consciência sobre o primeiro e o último gole. Tudo começa em se auto-conhecer para saber se deve ou não dar o primeiro passo.
Não encaro mesmo como um problema do submundo. É uma grande crise que atinge a todos e ninguém da a real importância a isso. 
A única campanha que temos forte no Brasil é: Se beber não dirija. Como se esse fosse o único mal. Não estou desmerecendo a campanha. Acredito ela fundamental e de grande valia. Mas o problema do álcool vai muito alem da direção combinada com a ingestão alcoólica. 
Tudo começa exatamente no consumo. Diminuir o consumo sim, deveria ser o grande foco.

Enfim...
Acho que foi mais um desabafo. Espero mesmo que pensem melhor sobre isso.

=)