segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Trabalho em Família

Se eu tiver que relatar uma experiência em minha vida, caro coleguinha, é sobre trabalhar em família.
Minha vida profissional começou quando eu tinha 17 anos e saia do colegial {hoje, no auge dos meus 33 aninhos, nem sei mais qual seria a nomenclatura para tal}. 
Trabalhei na empresa dos meus pais por 04 anos e então arrumei um estágio relacionado à faculdade que fazia: hotelaria.
Sim! Fui ser hoteleira. Na verdade mesmo eu era recepcionista, mas hoteleira fica mais glamouroso.
Ganhava pouco mas me divertia, apesar que não me recordo quando ganhei muito.
Enfim... fiquei 10 anos fora da empresa familiar de meus pais. Fui hoteleira por apenas 2 anos e fiquei 08 anos num escritório de gestão de investimentos. Era legal. Mas senti que eu precisava de algo mais. Por algum motivo que não sei explicar bem, fiquei acomodada e isso me cansava. Pedi as contas e então meu pai disse que era hora de eu voltar a trabalhar com eles em nossa empresa.
E assim se fez...
Um adendo que posso dizer é que eu nunca realmente escolhi meus empregos. Sempre fui correndo, abraçando uma oportunidade com receio de ficar desempregada. Também não sei explicar todo esse meu medo de ficar desempregada, afinal meus pais podem até hoje me sustentar sem eu desprender de nenhum real do meu bolso, como é feito até hoje. 
Sim! É uma vergonha... mas é a minha vida. E eu até que gosto de não ter essa preocupação na vida.

Na verdade depois que voltei a trabalhar com meus pais, após 10 anos trabalhando como uma mera empregada, descobri que minha vida era simples até então. 
Ganhava meu salário, bônus, 13º salário... Trabalhava e sonhava com a próxima viagem. Trabalhava e me programava para o final de semana. Trabalhava e curtia basicamente. Mas eu sentia um vazio.
Sentia que não era produtiva o suficiente e que poderia ser mais. Talvez que eu tivesse me acostumado com o trabalho ou talvez por que lá era um escritório pequeno, não via onde mais poderia crescer... vai saber! Eu gostava muito de lá, mas sentia que meu tempo já tinha dado.
Ah! Que saudades daquele tempo. 

Quando comecei a trabalhar com meus pais, foi o primeiro dia útil de 2015. Foi quando vi a realidade bater a minha porta. 
Pensava que teria horários mais flexíveis - contanto que eu esteja na empresa, é flexível.
Até aceitava ganhar menos, mas contato que trabalhasse menos - que ilusão!!! Trabalhe mais e ganhe menos, afinal eu vou herdar a empresa. Eu e meu irmão! Sabe aquele sonho de ser herdeira: então!! Eu serei... Herdarei trabalho que não acaba mais. 

Muitos acham que trabalho em família é fácil. Porque pai e mãe sempre relevam tudo.
Realmente não posso reclamar dos meus. Eles sempre me apoiaram em tudo, mas quando o lance é trabalhar para nossa empresa, as coisas mudam de figura. Não é tão simples.

Mas isso eu falo depois que esse aqui já esta grande demais.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Escolher

"Não o fizemos nem do céu nem da terra,
nem mortal nem imortal,
para que possa, com o livre-arbítrio e com honra, 
como se fosse o criador de si mesmo, 
moldar sua vida em qualquer forma que preferir.
Pelo julgamento de sua alma, você tem o poder
de renascer nas formas superiores que são divinas."
Discurso de Deus a Adão, na oração sobre a dignidade do homem, de Pico Delia Marandola


Eu estou lendo um textão {que na verdade é um pedaço de um livro que eu não sei o nome} sobre valores pessoais e havia esse trecho acima que é tão tão claro, mas pouco entendido pela humanidade.

Tudo na nossa vida são escolhas, exatamente tudo. Às vezes achamos que não podemos, que não temos escolhas, mas eu sinceramente não acredito nisso.
Acredito em escolhas compartilhadas, como aquelas feitas em casal, por exemplo.
Muitas pessoas pensam que quando arrumarem o emprego X ou quando casarem as coisas serão diferentes e mudarão. Sim mudarão mesmo. Essas pessoas tem razão. Mas nenhuma dessas mudanças será por sua escolha. Essas mudanças serão realizadas de acordo com a decisão de outras pessoas pois quando colocamos nossas vidas nas mãos de outros temos que aceitar a mudança que vier. Temos que aguentar as consequências e circunstancias criadas por outras pessoas que muitas vezes não estavam em nossos planos e o que é pior: temos que lidar com situações que muitas vezes não estávamos preparados. 
Algumas pessoas enxergam nisso uma oportunidade outras um desafio tão grande que perdem as forças e desenvolvem problemas psicológicos ou desanimo profundo. 
É... seja consciente ou inconscientemente tomamos decisões e fazemos escolhas o tempo todo. Até quando colocamos nossas vidas nas maos de outras pessoas, isso é uma escolha, mas cabe a nós sabermos se iremos aguentar o que está por vir.

Já vi algumas mulheres dizer: "quando eu casar, vou parar de trabalhar, pois ele vai trabalhar e eu vou somente cuidar das crianças." Ledo engano. É aí que elas começam a trabalhar ou porque se separam ou porque a renda não sustenta tudo que se deseja ou simplesmente porque ele não consegue emprego. Imagino o tamanho da frustração dessas mulheres. Mas perceba que colocar sua vida nas mãos de outra pessoa, você está totalmente vulnerável. 

Não se cobre, não se culpe e não jogue todos os seus problemas para os outros. Aceite sua vida e faça dela o espelho das suas decisões.

=)